quarta-feira, setembro 22, 2010

Stephen Hawking está errado: é necessário Deus para se criar o universo

Stephen Hawking sem sua força criador (gravidade)

Como cientista, eu estou certo que Stephen Hawking está errado. Você não pode explicar o universo sem Deus

Não há como negar que Stephen Hawking é intelectualmente corajoso, bem como fisicamente heróico. E em seu último livro, o físico renomado prepara um desafio audacioso para a crença religiosa tradicional na criação divina do universo.
Segundo Hawking, as leis da física, não a vontade de Deus, oferecem a verdadeira explicação de como a vida na Terra surgiu. O Big Bang, segundo ele, foi a conseqüência inevitável dessas leis "por haver uma lei como a gravidade, o universo pode e irá criar a ele mesmo do nada."
Infelizmente, embora o argumento de Hawking esteja sendo aclamado como polêmico e inovador, ele não é novo.
Durante anos, outros cientistas têm feito afirmações semelhantes, sustentando que a impressionante criatividade sofisticada do mundo que nos cerca pode ser interpretada unicamente com base em leis físicas, tais como a gravidade.
É uma abordagem simplista, mas em nossa era secular parece ter ressonância com um público cético.
Mas, como cientista e como cristão, eu diria que a alegação de Hawking é equivocada. Ele nos pede para escolhermos entre Deus e as leis da física, como se estivessem necessariamente em conflito mútuo.
Mas ao contrário do que afirma Hawking, as leis da física nunca podem fornecer uma explicação completa do universo. Leis em si não criam nada, elas são apenas uma descrição do que acontece sob determinadas condições.
O que Hawking parece ter feito é confundido lei com agência. Seu pedido para que escolhamos entre Deus e a física é um pouco como alguém exigindo que se escolha entre o engenheiro aeronáutico Sir Frank Whittle e as leis da física para explicar o motor a jato.
Essa é uma confusão de categoria. As leis da física conseguem explicar como funciona o motor a jato, mas alguém tinha de construir a coisa, colocar o combustível e iniciá-lo. O jato não poderia ter sido criado sem as leis da física por si mesmo – mas a tarefa de desenvolvimento e criação necessitaram da genialidade de Whittle como seu agente.
Da mesma forma, as leis da física nunca poderiam ter realmente construído o universo. Algum tipo de agente deve estar envolvido.
Para usar uma analogia simples, as leis de Isaac Newton sobre o movimento nunca em si mesmas lançaram uma bola de bilhar correndo por todo o feltro verde. Isso só pode ser feito por pessoas usando um taco de sinuca e as ações de seus próprios braços.
O argumento de Hawking parece-me ainda mais ilógico quando ele diz que a existência da gravidade significa que a criação do universo era inevitável. Mas como existe a gravidade, em primeiro lugar? Quem a colocou lá? E qual foi a força criativa por trás do seu nascimento?
Da mesma forma, quando Hawking argumenta, em apoio da sua teoria da criação espontânea, que só era necessário “acender o pavio” para “fazer o universo começar”, a pergunta deve ser: de onde veio esse pavio? E quem o acendeu, se não Deus?
Grande parte da lógica subjacente à argumentação de Hawking encontra-se na idéia de que existe um conflito profundo entre a ciência e a religião. Mas esta não é uma discórdia que eu reconheça.
Para mim, como um crente em Cristo, a beleza das leis científicas só reforçam minha fé em um ser inteligente, divina força criadora em ação. Quanto mais eu entendo a ciência, mais acredito em Deus, por causa do meu espanto com a dimensão, a sofisticação e a integridade de sua criação.
A própria razão pela qual a ciência floresceu tão vigorosamente nos séculos 16 e 17 foi precisamente por causa da crença de que as leis da natureza que estavam sendo descobertas e definidas refletiam a influência de um divino legislador.
Um dos temas fundamentais do cristianismo é que o universo foi construído de acordo com um projeto racional, inteligente. Longe de estar em desacordo com a ciência, a fé cristã realmente faz perfeito sentido cientificamente.
Alguns anos atrás, o cientista Joseph Needham fez um estudo épico do desenvolvimento tecnológico na China. Ele queria saber por que a China, com todas as suas antigas inovação, tinha ficado muito atrás da Europa no avanço da ciência.
Ele relutantemente chegou à conclusão de que a ciência europeia tinha sido estimulada pela crença generalizada em uma força criadora racional, conhecida como Deus, que fez todas as leis científicas compreensíveis.
Apesar disso, Hawking, como tantos outros críticos da religião, quer que acreditemos que não somos nada mais do que um conjunto aleatório de moléculas, o produto final de um processo irracional.
Isto, se for verdadeiro, poria em dúvida a racionalidade de que precisamos estudar ciência. Se o cérebro fosse realmente o resultado de um processo não guiado, então não há razão para acreditar em sua capacidade de nos dizer a verdade.
Vivemos em uma era de informação. Quando vemos algumas letras do alfabeto soletrando o nosso nome na areia, a nossa resposta imediata é a de reconhecer o trabalho de um agente inteligente. Quanto mais provável, então, é um criador inteligente por trás do DNA humano, o colossal banco de dados biológicos que contém nada menos que 3,5 bilhões "letras"?
É fascinante que Hawking, ao atacar a religião, sente-se compelido a colocar tanta ênfase na teoria do Big Bang. Porque, mesmo que os não-crentes não gostem disso, o Big Bang se encaixa exatamente com a narrativa cristã da criação.
É por isso que, antes do Big Bang ganhar terreno, muitos cientistas estavam dispostos a rejeitá-la, pois ela parecia apoiar a história da Bíblia. Alguns se apegaram a visão de Aristóteles do "universo eterno", sem começo nem fim; mas essa teoria, e mais tarde as variantes da mesma, estão agora profundamente desacreditadas.
Mas o apoio para a existência de Deus vai muito além do reino da ciência. Entre a fé cristã, há também a poderosa evidência de que Deus se revelou à humanidade através de Jesus Cristo há dois milênios. Isso é bem documentado não apenas nas Escrituras e outros testemunhos, mas também em uma riqueza de achados arqueológicos.
Além disso, a experiência religiosa de milhões de crentes não pode ser ignorada levianamente. Eu e minha família podemos testemunhar que a fé teve influência positiva sobre as nossas vidas, algo que desafia a idéia de que somos nada mais do que um conjunto aleatório de moléculas.
Assim como é forte a realidade óbvia de que somos seres morais, capazes de compreender a diferença entre certo e errado. Não há nenhuma rota científica para tal ética.
A física não pode inspirar a nossa preocupação com o outro, ou o espírito de altruísmo que existe nas sociedades humanas desde a aurora dos tempos.
A existência de uma base comum de valores morais aponta para a existência de uma força transcendente além que meras leis científicas. De fato, a mensagem do ateísmo tem sido sempre uma mensagem curiosamente deprimente, retratando-nos como criaturas egoístas focadas em nada mais do que sobrevivência e auto-gratificação.
Hawking também considera que a possível existência de outras formas de vida no universo enfraqueça a convicção religiosa tradicional que nós estamos vivendo em um planeta único, criado por Deus. Mas não há nenhuma prova de que outras formas de vida estão lá fora, e Hawking certamente não apresenta uma.
Sempre me divirto quando os ateus argumentam pela existência de inteligência extra-terrestre além da Terra. No entanto, eles estão muito ansiosos para rejeitar a possibilidade de que já dispomos de um ser inteligente vasto lá fora: Deus.
A nova artilharia de Hawking não pode abalar os alicerces de uma fé que se baseia em evidências.

Texto original em inglês aqui.

29 comentários:

Wandrey Soares disse...

Olá, irmão Maurilio, Já faz tempão que não vinha aqui.

Bem, só quero afirmar que o físico está correto em suas afirmações. Realmente, não faz sentido haver um criador paro o universo.

Na verdade, Jeová Deus nem mesmo o planeta Terra ele criou.

E com que base digo isso? Simplesmente pelo fato de a Bíblia, a Palavra de Deus, nada - absolutamente nada - dizer sobre isso.

É muito mais provável que Deus e todos os outros deuses que o servem nos céus tenham sido criados pelo Universo.

Grande abraço

Maurilo e Vivian disse...

Cara, não entendi nada que você escreveu...
Não fez sentido. Você está dizendo que Deus não criou o nosso planeta? E você acha que Hawking está certo? Que a gravidade é mais forte que Deus e criou o universo?
Meu amigo, a Bíblia fala muitas coisas sobre a criação. Recomendo ler as Escrituras com mais cuidado novamente.
Abraço.

Wandrey Soares disse...

Irmão, você 'não entendeu nada do que eu disse'? Duvido.

Cara, você entendeu sim. Eu disse exatamente isto, que "Deus não criou o nosso planeta".

Não, eu não disse que o físico está certo, baseei minha fala não nele, mas na PALAVRA de Deus, a Bílbia. E não disse que a 'gravidade é maior que Deus' - disso ninguém sabe.

Devemos dizer só o que está na Bíblia pois somos crentes, não é verdade?

Acredito, claro, que a 'Bíblia muito fala sobre as criações de Deus' e que 'Deus é o Criador de todas as coisas'.

Mas examinei o Gênesis e vi ali que as coisas que ele criou não foram de modos literais. Não, definitivamente o Gênesis nada fala sobre Deus ter criado o universo, as galáxias, as estrelas, nosso sistema solar, nosso sol e nosso planeta com sua Lua.

Sua recomendação, de ler as Escrituras, é desnecessária embora seja sempre legal ouvir isso. Pois já tenho o hábito da leitura bíblica e meu estudo pessoal dela a mais de 20 anos. Talvez seja por isso mesmo que vim a enxergar esse novo conhecimento.

Devemos levar essa informação aos quatro cantos do mundo, você estará comigo?

Grato,

Wandrey

Maurilo e Vivian disse...

Meu amigo. Eu não sei nem o que te responder. Tenho a sensação que não estamos falando sobre o mesmo Deus e a mesma Bíblia. A não ser que você abrace algum tipo de gnosticismo que acredita que existe uma deidade boa que criou o mundo das idéias (perfeito) e uma deidade malévola que criou o mundo físico (imperfeito) eu não consigo entender suas crenças.
Por isso é difícil saber se a mensagem do evangelho que eu levo aos quatro cantos do mundo é a mesma que você leva.
Tenha a impressão que não.

Wandrey Soares disse...

Como assim 'não consegue entender minhas crenças', irmão. Nunca falei de forma tão clara e com palavreado simples como estou falando ao irmão.

É claro que falo da mesma Bíblia (nunca soube que há outra, vc soube disso?) e do Mesmo Deus. Falo do Deus da bíblia, o Único Deus verdadeiro, Jeová. O Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo. Aquele que fala nas páginas da Bíblia . . .

Não creio que posso ser mais claro que isso irmão.

Leia o relato do Gênesis e aponte para mim (para nós, seus leitores) onde diz que Deus criou o Universo, as galáxias, as estrelas e nosso sol com nosso planeta e lua?

Vamos tentar levar a verdadeira história sobre a 'criação dos céus e da terra' àos que anceiam a verdade, irmão? Vamos?

Caso tenha dificuldade em ver a verdade da qual estou te falando, leia as matérias sobre meu estudo pessoal, no meu blog diretamente.

Vamos irmão! Vamos entrar na história como homens que não temem falar a verdade, mesmo que esta seja polêmica.

Depois tem mais revelações da parte de Deus, pois Ele não me deixa nem sequer dormir direito, me dando coragem para falar, ao passo que me faz ver novas revelações sobre suas verdades verdadeiras!

Estou cheio de espírito santo nesse sentido irmão. Não posso deixar de falar das coisas que vejo nas minhas seções de estudo pessoal da Bíblia.

Maurilo e Vivian disse...

Não, suas crenças não fazem sentido. Quando as palavras são colocadas juntas, uma crença bastante estranha aparece. De qualquer forma, vou dar uma boa lida em seu blog pra ver se algo faz sentido.
Eu acredito que Genesis 1 resolve o problema em relação à criação do universo. Se você for argumentar que a palavra universo, sol e galáxia não aparecem no texto e portanto Deus não criou todo o universo, vai demonstrar que seus estudos não foram muito frutíferos. Espero que nao seja essa sua linha.
Eu tenho proclamado o evangelho conforme apresentado na Bíblia, e na Bíblia, o Deus que se revela é o criador de todo o universo. Se Ele for menos que isso, não é digno de ser chamado Deus.
Apesar de, se não estiver enganado, você acredita na existencia de varios deuses. Não somente um verdadeiro e outros falsos, mas de varios deuses verdadeiros.
Seja como for, a mensagem que eu prego é diferente da sua. Nós cremos em coisas diferentes, o que nos desqualifica como irmãos.

Wandrey Soares disse...

É lamentável que pense assim, irmão!

É lamentável que previra me desacreditar para não enfrentar as questões.

Lembro-me que Jesus também sofreu esse tipo de rejeição. Quando ele ensinava 'ensinos que não faziam sentido' para 'seus irmãos' os judeus ele ficou trsite. É assim que me sinto com relação a vocês dois, que preferem me desassociarem de ser seu irmão mas não quer saber das possíveis verdades que vos falo.

Mas não faz mau não, irmão. Continuarei tendo-o assim, pois, à base de meu estudo pessoal de ontem, até mesmo os anjos que cometeram fornicação com nossas mulheres aqui na terra, e Jeová os 'prendeu' por isso, há esperança.

Se Deus e Jesus Cristo estendeu os benefícios do sanguem de Cristo aos anjos pecadores e os terá a muitos com certeza como irmãos novamente, que diremos de nós, irmão!

Leia este artigo: "Boas Novas a anjos pecadores"

http://estudopessoal.blogspot.com/2011/01/boas-novas-aos-anjos-pecadores.html

deuses Existem? disse...

As qualidades de um deus Onipotente

Se Deus é Todo-Poderoso há diversas qualidades que ele deve ter.

Eles são os seguintes:

.Ele deve saber tudo. Tudo o que é, tudo o que foi e tudo o que será. Para ser capaz de saber tudo o que será que ele deve saber cada posição e cada momento de cada partícula no cosmos (de Laplace "Mundo dos Espíritos").

•Ele deve ser digno de nossa adoração. Um ser que não vale a pena adorar nenhum deus.

•Ele deve ser capaz de fazer qualquer coisa. Se há coisas que Deus não pode fazer, ele certamente não é onipotente.

•Ele deve estar acima do tempo. Algo que nem mesmo S. Agostinho deduzia. Mas não só isso, Deus deve estar acima de todas as dimensões possíveis.

•Ele não pode ser "bom" ou "mau" ou, de fato, possui caracteristica subjetiva. Se Deus é tudo de bom, ele não pode fazer coisas más e não pode ser todo-poderoso. A maioria das pessoas objetam e dizer que o bem pode fazer mal, mas opta por não fazê-lo. Bem, se Deus é tudo de bom que ele não pode optar por fazer as coisas mal, pode?

Temos também o problema da teodiceia, declarou David Hume:
Se o mal no mundo é destinado por Deus, ele não é bom. Se ele viola suas intenções, ele não é onipotente. Deus não pode ser ao mesmo tempo onipotente e bom. Existem muitas objeções a isso, mas nenhum que mantém desde que Deus é o responsável pela existência do mal. Além disso, se só Deus pode criar, ele deve ter criado o mal. Se alguém (o diabo) criou o mal, como se pode saber que Deus, e não Satanás criou o universo?

O problema do mal natural. Por que sofremos? Eu recomendo a leitura do livro de Barth D. Erhman: “O problema com Deus”. As respostas que a Bíblia não dá ao sofrimento

Existe um teste, baseado na evidência ontológica contra Deus, que você pode fazer para tentar a existência de Deus. Ore e peça a Deus para lhe proporcionar uma prova clara de sua existência dentro de uma semana. Após essa semana, se você tem uma prova de que Deus existe, me envie as provas.
Se não, só existem três razões que eu posso pensar que são plausíveis:
(1) Deus não existe,
(2) Deus não quer ou
(3) Deus não pode lhe dar essa prova. Por causa da evidência ontológica, alternativa (2) e (3) não são dignos de sua adoração e, assim, igual alternativo (1).

Então, se você não obtiver resposta, não há Deus.

Maurilo e Vivian disse...

Olá seja lá você quem for.

Primeiro, por que eu deveria me apegar às suas definições de Deus? Não existe motivo real nenhum para isso. Por exemplo, você diz que onipotência é “poder fazer tudo o que se quiser”. Mas isso não é verdade. Onipotência é ter todo o poder. Dentro daquilo que o poder pode fazer, Deus pode fazer. Poder nenhum no mundo cria contradições lógicas. Um solteiro casado é uma contradição lógica que poder nenhum no mundo poderia criar e não vejo porque Deus deveria fazê-lo.
Segundo, Deus não poderia estar acima do bem e do mal. Na verdade, pela teologia cristã, Deus é o padrão de bem. Não é algo acima ou abaixo Dele, mas algo que emana de sua própria natureza. Mesmo que isso não fosse verdade, não vejo porque Ele deveria estar acima ou abaixo do bem e do mal. Seja como for, essa sua caracterização de Deus simplesmente é inválida.
Antes de seu teste para a existência de Deus ser válido, precisaríamos definir o que é prova para você. Estaria você exigindo uma prova naturalística para a existência de Deus? O que você contaria como prova? Por exemplo, você exigiria uma prova física para uma entidade metafísica? Nós já ficaríamos presos à própria noção de prova porque acredito que você só aceitaria uma prova física para a existência de Deus. Lógica e indução provavelmente não serviriam como prova. Isso me lembra o filme “Contato”, quando a cientista é solicitada a fornecer provas da existência de extraterrestres. Ela não tem nenhuma que convença o juri, mas ela sabe que eles existem por causa de sua experiência pessoal com eles. Mas acredito que experiência pessoal não seria prova para você também. Ficaríamos preso sem sair do lugar.
A evidência ontológica contra a existência de Deus que você se refere para fundamentar seu teste é a de Douglas Gaskin? Se for, é um argumento inválido por causa da falha de pelo menos duas de suas premissas, mas só vou citar uma: em relação à premissa 6, desde quando a inexistência é uma vantagem? Não existe nenhuma vantagem na inexistência. Portanto, se for esse argumento ateísta, que é mais engraçado do que racional, seu desafio nem precisa começar.
Além do mais, o Deus cristão tem respondido à essa pergunta para várias pessoas. Ele tem dado prova de sua existência para milhões de pessoas em toda a história. E fez isso de forma histórica ao ressuscitar Jesus Cristo dentre os mortos.
Sendo assim, já que eu tenho uma resposta, Deus existe.
Abraços

Wandrey Suarez disse...

O irmão ateu foi em busca de Deus na fonte errada. Quem, em sã consciência, sendo céptico e ateu, apresentaria Deus como ele verazmente é?

Ninguém, a não ser os crentes Nele é que o apresentaria melhor. Por isso, o caro amigo do blog "deuses existem" não tem razão nas suas questões que levanta aqui. Não há sentido algum respondê-lhe uma vez que suas perguntas têm como pano de fundo um Deus apresentado por ateus e cépticos.

Recomendo ao caro, portanto, que leia a Bíblia diariamente e que venhas a ter um regular estudo pessoal dela. Após isso, e tendo se passado um certo período de tempo, o caro terá perguntas coerentes a fazer sobre Nosso Criador.

Saiba, porém, rapaz: Jeová deseja que você o conheça. Na verdade, o próprio Filho principal Dele disse certa vez: "isto significa vida eterna, que absorvam conhecimento de TI, o único Deus verdadeiro e DAQUELE que enviastes, JESUS CRISTO" - João 17:3 TNM

Caro amigo, estudar a Bíblia poderá te dá, no mínimo, uma esperança de que o que Jesus falou acima - "vida eterna" - seja possível. Já estudar e se dedicar a livros e ideias humanas não te dará mais que um pouco de conhecimento que não é conhecimento.

Wandrey

deuses Existem? disse...

Prezado irmão Maurilio

Agradeço os seus comentários. Verdade seja dita, essa questão abordada, já vem de há seculos. E ambos defendendo as nossas convicções, que sejam analisados e já foram levantadas por outros religiosos, filósofos, humanistas e livres pensadores.

As respostas podem ser encontradas, por ateus e cristãos nas páginas do Google:

en.wikipedia.org/wiki/Ontological_argument

Grato
Oiced

Maurilo e Vivian disse...

É verdade, essas questão são discussões de séculos. Mas o embate é sempre interessante.
Obrigado pelo link, vou dar uma lida no texto.
Abraços.

Claudio Avila disse...

Acho incrivel quando uma pessoa diz: ele não sabe nada. Eu sei: foi Deus! Eu sei tudo... está na biblia.

Existem dois tipos de pessoas: as que procuram conhecimento e se conformam com os limites da verdade e os que aceitam o abstrato pois esse sim 'explica' tudo.

A verdade é que não explica nada! É apenas uma crença que amortiza a vergonha de não entender o universo.

Pelo menos o Stephen é homem de dizer, do fundo do coração: EU NÃO SEI!!!

Maurilo e Vivian disse...

Olá Cláudio.
Na verdade, você está errado em relação à duas coisas. Uma é sobre como postulamos que Deus é a causa do universo. Não fazemos isso baseado na ignorancia, mas sim na observação dos fatos e evidências científicas e a partir disso inferimos Deus como melhor explicação.
A segunda coisa que você está errado é sobre Stephen Hawking dizer: Eu não sei. Muito pelo contrário, o que ele afirma em seu livro é que ele sabe e tenta explicar esse conhecimento. No final das contas, a explicação que Hawking é muito mais filosófica do que científica e fundamentada em raciocínio circular.
Recomendo uma leitura atenta de seu último livro, The Grande Design e você vai ver que ele diz com todas as letra: Eu sei! Faltou, claro, comprovar isso.

Brno disse...

@Wandrey
cara que loucura foi essa?
se Deus não for criador de tudo, se Deus não for o criador de um minimo e insignificante grão de areia no universo ele perde um dos seus atributos principais: a Onipotencia, pois, hipoteticamente falando, mesmo sendo Deus de (quase) todas as coisas existiria um grãozinho de areia do qual ele não seria dono, e isto tiraria a denominação de Onipotente d'Ele, logo, está provado que Deus ao ser Onipotente criou tudo e infelizmente meu caro amigo, se acredita no verdadeiro Deus sua tese está completamente errada

@Maurilo
Infelizmente meu caro, como você explicaria então Deus, Jesus e o Divino Espírito santo serem 3, e ao mesmo tempo 1 só Deus? como um filho pode ser também o pai, e vice versa? como você explicaria a trindade pela lógica? Deus está acima de tudo irmão, até da lógica...

@E a todos vocês:

Ler a Bíblia sem inspiração do Espírito Santo usando só seus conhecimentos humanos pode depois de muito tempo se tornar a pior coisa que alguem pode fazer, tentar usar a palavra de Deus contra Ele mesmo, portanto meus caros, não tentem entender a Bíblia por si só, ou criar interpretações diferentes de um só texto, esquecendo o contexto. Leiam a Bíblia bastante, mas sempre pedindo a Deus discernimento sobre o que foi lido.

Posso não ter muita experiência lendo a Bíblia (nem de vida também, tenho 15 anos, 2 seguindo a palavra de Deus e mais 13 indeciso mas sempre confiando e acreditando n'Ele) mas sei quem verdadeiramente é Deus pois só acredito na palavra d'Ele, e em nenhuma outra.

ps.: entendam palavra d'Ele como o próprio Deus falando + a Bíblia

Maurilo e Vivian disse...

Olá Brno.
A lógica pode ser facilmente usada para explicar a trindade. Mas primeiro, você deve caracteriza-la de forma correta, o que você não fez.
Deus não é ao mesmo tempo um Deus e três deuses. Isso seria uma contradição. Deus é um Deus e três pessoas. Três diferentes pessoas, uma só divindade. O Pai não é o Filho, que não é o Espírito Santo, que também não é o Pai. Mas o três são Deus. Pesquise um pouco mais sobre a trindade, você vai encontrar material sobre isso em nosso blog.
Quando você diz que Deus está acima da lógica, por que pede para que eu use lógica para explicá-lo? Se Deus está acima da lógica, então pedir para alguém explicá-lo usando lógica seria uma bobagem. E foi exatamente isso que você fez. Eu não diria que Deus está acima da lógica. Eu diria que a lógica emana de Deus. Ele é o logos. Veja João 1.
O Espírito Santo não é necessário para entender a Bíblia. Qualquer um pode entender o significado do texto sagrado, basta para isso o uso das melhores práticas de hermeneutica. O Espírito Santo é necessário para se acreditar que o texto sagrado é verdadeiro. É aí que está a diferença. Um ateu pode muito bem entender cada palavra da Bíblia, mas só poderá acreditar e colocá-la em prática pela ação do Espírito Santo em sua vida.
Abraços.

Wandrey Suarez disse...

Olá, irmãozinho Brno. Saudações.

Sobre seu raciocínio de Deus é que é o Criador de tudo mesmo, até mesmo do último grão de matéria do Universo e que caso isso não fosse assim ele não seria o Onipotente.

Digo o seguinte:

Mesmo assim, mesmo não tendo criado nem o universo, nem uma sequer uma das galáxias e estrela, nem sequer um só dos planetas de quaisquer sistemas estelares - inclusive o nosso e mesmo ele não tendo sido o responsável pela origem da vida animada de forma inédita, mesmo assim ele é o Onipotente.

Acho que Onipotência tem mais a ver com o 'único que tem poder acima dos demais e das demais formas de vidas'. Ou será que estou enganado?

É até difícil para eu abordar esse assunto assim de improviso devido ao fato de que nunca havia lido esta palavra nas Escrituras. Será que a Bíblia diz diretamente que Deus, sim, Jeová, é Onipotente?

Devemos acreditar só no que as Escrituras dizem, para não cairmos nas armadilhas de acreditarmos em ensinos de homens, como sempre foi o caso, por exemplo, da doutrina antibíblica da trindade.

Abraços

Brno disse...

@Maurilo
Quando pedi para você explicar eu estava sendo irônico, desculpe, deveria ter deixado mais claro, não pedi que me explicasse, foi apenas uma maneira cômica de me expressar, perdão de qualquer forma.
Sobre a Trindade, não eu não afirmei que Eles são três deuses, em momento algum disse isso, e mais, defino de uma forma parecida: Deus, Jesus e o Divino Espírito Santo são três "personificações" diferentes e ao mesmo tempo um só Deus, novamente, desculpe-me se não soube me expressar, agora você poderá entender melhor meu conceito.
Sobre entender a Bíblia concordo com parte do que foi dito, um ateu pode muito bem entender a Bíblia, a diferença é que, utilizando-se de um texto qualquer da Bíblia ele pode muito bem interpretar de maneira errônea e acabar tendo uma noção completamente contrária da qual Deus queria que ele (o ateu ou qualquer outra pessoa)tivessem.

@Wandrey
Olá, saudações...
Me desculpe por antecedência mas, você questionou a Onipotencia de Deus? Se não tudo bem, eu li sem pensar, se sim, por favor, peço que procure ler ainda mais a Bíblia e pedir a Deus conhecimento, pois isto pode até ser considerado uma blasfêmia, e eu acho que o irmão não teve intuito de blasfemar.
Ajudaria também se o irmão desse uma lida em Apocalipse e em Jó (Quando Deus questiona duas vezes a Jó onde ele estava quando ele realizou todos os feitos citados na passagem).
Uma amostra simples da Onipotencia é:
"Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim." Apocalipse 22:13
É também muitas vezes citado na Bíblia os três principais atributos de Deus: Onipotência, Onisciência e Onipresença, é só ler atentamente.

Maurilo e Vivian disse...

Olá Brno.
O que você está declarando aqui é modalismo e isso não é biblico. A Bíblia não ensina que existem três personificações, ela ensina que existem três pessoas co-existentes, que não são a mesma pessoa. Trindade e modalismo são coisas bem diferentes. A primeira é ensino bíblico. A segunda, heresia já condenada pela igreja há muito tempo.
Mas o seu desafio para mim era sobre como usar a lógica para explicar a trindade, ao mesmo que a lógica não poderia explicar algo como a trindade. Como eu disse no outro comentário, não faz sentido pedir que eu use a lógica se você acredita que Deus está acima da lógica. Lembre-se, Ele não está acima da lógica, Ele é o logos. Seja como for, a ironia via de regra não é bem vinda quando alguém faz seu primeiro comentário por aqui. Eu não ligo para o uso de ironia depois de algumas trocas, mas eu acho um pouco ofensivo iniciar o papo dessa forma.
O ateu pode deturpar a Bíblia não porque lhe faltam os elementos cognitivos para isso, mas por uma questão de vontade. Como ele já definiu que Deus não existe, ele vai interpretar a Bíblia a partir desse pressuposto.
Muitas pessoas interpretam a Bíblia de forma errada e várias delas afirmam que essa interpretação lhes é dada pelo Espírito Santo, como forma de validar sua crença estranha. O Espírito Santo tem um papel muito bem definido na vida do cristão e dentro desse papel está o de ajudar na aplicação do texto bíblico, não em seu entendimento. Qualquer um pode entender a Bíblia em sua maioria utilizando bons princípios de hermeneutica. A diferença está na aplicação.

Wandrey Suarez disse...

Revelação (Apocalípse) 22:13 diz

"Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último, o princípio e o fim."

Irmãozinho, não consigo lê neste texto nenhuma palavra "Onipotente".

queira procurar outro, por favor.

Seria muito proveitoso o irmão, junto com o texto onde fala de Deus sendo o Onipotente, explane uma breve apresentação sobre o significado deste termo.

Wandrey

Wandrey Suarez disse...

Novamente:

"Examinei o Gênesis e vi ali que as coisas que os Deuses criaram não foram de modos literais. Não, definitivamente o Gênesis nada fala sobre Deus ter criado o universo, as galáxias, as estrelas, nosso sistema solar, nosso sol e nosso planeta com sua Lua".

Wandrey

Maurilo e Vivian disse...

Novamente:
Você continua lendo Genesis de forma errada. Está tentando fazer o texto se encaixar em suas crenças, não o contrário.

Maurilo e Vivian disse...

E falando sobre "deuses", recomendo Isaías 43:10:
"Antes de mim nenhum deus se formou, nem haverá algum depois de mim."
Não sobra muito espaço para outros deuses de acordo com esse texto.

Wandrey Suarez disse...

Irmãozinho, sobre o relato do gênesis, eu fiz um estudo perspicaz sobre o caso - logo tenho razão na minha afirmação.

Como o irmão nada estudou sobre o Gênesis, subentende que o irmão nada tem entendido e, portanto, não tem razão no0 que afirmas.

Sobre se Deus é o único Deus do Universo, está novamente enganado. Por quê?

Porque Existem: 1) Jeová - o Deus Todo-Poderoso; 2) Jesus, segundo mais poderoso e bilhões de anjos que, indo pelo raciocínio bíblico, são também deuses.

Obviamente, sabemos e dizemos que 'há um só Deus e um só Senhor' sobre nós, que são Jeová e seu Filho, Jesus. E eu tenho reconhecido esta distinção.

Mas no Gênesis, onde fiz um estudo pessoal sistemático e perspicaz, como eu disse, ali mostra-nos uma palavra em hebraico - heloin - que significa "DEUSES" e não apenas "DEUS".

Fassa seu estudo pormenorizado, apresente-o aqui e discutiremos.

Grande abraço de seu irmão

Wandrey

Maurilo e Vivian disse...

Wandrey.
O fato de você ter feito um estudo perspicaz sobre Genesis não quer dizer que você tenha razão. Muita gente já fez os mais variados estudos perspicazes sobre a Bíblia e continuam erradas. Suas afirmações continuam erradas.
Eu acho maravilhosa sua onisciência sobre aquilo que eu estudei ou não. Como sabe que eu nada estudei sobre Genesis? Muita gente estudou Genesis e chegou a conclusões bem diferentes da suas.
Deus Pai, ou Jeová como você caracteriza, não é um Deus à parte de Jesus. Ele e Jesus são o mesmo Deus. Fazem parte da mesma divindade. Um só Deus, três pessoas. Esse é o ensino da Trindade. Os anjos não são deuses. São anjos.
O texto de Isaías não diz que não existe outro Deus sobre nós. Ele diz que nenhum deus se formou antes do Deus de Israel e nenhum haverá depois. Não sobra muito espaço para outros.
A palavra que você se refere não é heloin, mas Elohim. Eu não sei se foi erro de digitação ou você entendeu a palavra errada, mas com Elohim você comete o mesmo erro clássico de interpretação da Bíblia das testemunhas de Jeová. Elohim pode signigicar tanto deus quanto deuses. O que define o seu significado é o verbo que o acompanha. Se o verbo for no singular, a tradução correta é Deus. Se o verbo estiver no plural, a tradução correta é deuses. E mesmo essa regra não é tão rígida. Eu não sei onde você aprendeu hebraico, mas essa sua informação está errada.
Abraços.

Padilharocks disse...

Bulshit and you know it! science is made with truth, religion with illusions. Too bad people need to believe in crap to be less afraid of death.

Maurilo e Vivian disse...

No sir, you're wrong. Science is one of the way we can discover truth, but is not made of it. It has a philosophical basis and depends on it. Religion can be a illusion as much as science can be a illusion when its considered the only way to find truth. So, if you believe what you stated here, you're believing in a illusion.
You should work on your epistemology sir. And watch your language, please. Next time, I won't publish your comment with that kind of language.

Luã Stradlin disse...

Existe um ponto de ser retardado, mas vocês tem a mente muito fechada!

Maurilo e Vivian disse...

Luã: Poderia ser específico ou voce só queria fazer uma afirmação?

Nas escrituras, tirar os sapatos tem um significado muito especial. Quando Moisés teve seu primeiro confronto com Deus, Ele disse para que ele tirasse seus sapatos porque ele estava em terra santa. Jesus caminhou descalço para o Calvário. Na cultura daquele tempo, estar descalço era o sinal que você era um escravo. Um escravo não tinha direitos. Jesus nos deu o exemplo supremo de renunciar tudo por um grande objetivo.
Loren Cunningham Making Jesus Lord / Marc 8:34,35

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...