sábado, fevereiro 05, 2011

Uma comparação entre Cristianismo e o Ateísmo e o seu significado

Tradução Pés Descalços

A seguinte lista nos dará as crenças gerais em vários assuntos comparando o Cristianismo (C) e o Ateísmo (A). Não temos aqui uma argumentação a favor ou contra a existência de Deus. Também não é uma argumento pelo Cristianismo. O que se segue é simplesmente o que cada visão de mundo entende em termos gerais como respostas finais para algumas das grandes perguntas da vida.

O Princípio
A – Nenhum Deus criou o universo. Ou o universo é eterno ou criou a si mesmo. O universo foi criado por um processo desconhecido. Significado: o universo é acidental e sem propósito.
C – Deus criou o universo. Deus representa um ser que é atemporal, além do espaço e imaterial. Deus é um ser todo poderoso que tem o poder de desejar a existência do universo. Deus é pessoal. Significado: o universo foi criado por Deus e tem um propósito.

Homem
A – O homem evoluiu com o tempo devido a mutações e seleção especial (evolução Darwiniana). Significado: o homem é um acidente biológico sem propósito e significado final.
C – O homem foi criado de forma única por Deus (Imago Dei). Significado: o homem tem propósito e significado em sua vida.

Desenvolvimento da vida
A – A vida se desenvolveu lentamente com o tempo pela evolução Darwiniana. Significado: sobrevivência do mais forte, seleção natural e mutações benéficas são responsáveis por direcionar a vida.
C – A vida pode ter evoluída em um sentido micro-evolucionário, mas os tipos diferentes de vida apareceram de uma vez por criação especial de Deus. Aqueles que acreditam em uma evolução teísta aceitam o lento processo de evolução Darwiniana. Significado: o desenvolvimento da vida foi especialmente e propositadamente criado Deus.

Pecado
A – Não existe pecado ou coisa do tipo, porque Deus não existe. Significado: não existe sentido nessa palavra, porque pecado é uma palavra irrelevante.
C – O pecado é o resultado da rebelião do homem contra Deus. Por causa do pecado, homem e Deus estão separados. Essa separação causou um rompimento no relacionamento que existia no princípio. Significado: todos somos pecadores (Romanos 5:3) e merecemos morte ou separação eterna de Deus (Romanos 6:23). O pecado é um problema sério para toda a humanidade. Todos os humens precisam de um salvador para vencer o problema do pecado.

Morte
A – Quando uma pessoa morre, esse é o final da sua existência. Significado: a morte é o resultado final da vida biológica.
C – A morte não é final da vida. A vida vai continuar após a morte. Significado: a morte biológica não representa o fim da vida.

Destino
A – A vida termina quando a pessoa morre. A vida só tem o significado que você der para ela enquanto estiver vivo, mas não tem um significado último. Significado: o fim da vida é o fim da sua existência.
C – Existe uma vida após a morte. Alguns vão estar com Deus na eternidade, enquanto outros estarão eternamente separados de sua presença. Significado: para aqueles que se rebelam contra Deus haverá choro sofrimento eterno, mas para aqueles que escolherem seguir Deus haverá felicidade eterna.

Milagres
A – Não há milagres nem nada do tipo, porque milagres lidam com o sobrenatural. Significado: nenhum, porque milagres não existem.
C – Milagres acontecem porque Deus existe. A validade dos milagres pode ser investigada. Significado: Deus intervêem através de atos que suplantam a lei natural.

Ciência
A – Ciência é vista como o principal fornecedor de verdade e conhecimento. Significado: o cientismo é a principal ou única maneira pela qual o conhecimento é adquirido.
C – Ciência é apenas uma maneira pela qual podemos perceber a verdade e adquirir conhecimento. Significado: a ciência é limitada à aquilo que podemos conhecer mas representa um caminho na aquisição de conhecimento.

Jesus
A – Muitos vão dizer que Jesus foi uma pessoa real e possivelmente um grande líder, mas certamente não o Filho de Deus. Significado: Jesus foi apenas outra pessoa que viveu e morreu no plante terra.
C – Jesus veio à terra dos céus para libertar os que o receberem como pagamento pelo pecado que todo homem tem. Significado: aqueles que confiam em Jesus terão seus pecados perdoados. Jesus veio para nos libertar.

A ressurreição de Jesus
A – A ressurreição de Jesus nunca aconteceu. A ressurreição pode ser explicada através de mitos, desmaio, tumba errada, corpo roubado, alucinações ou uma variedade de argumentos naturais. Significado: Jesus nunca se levantou dos mortos, porque ressurreição é algo impossível.
C - Jesus ressuscitou corporalmente dos mortos e o provou através do túmulo vazio, suas aparições pós ressurreição e a vida transformadas de todos os que testemunharam esse evento. A ressurreição é um evento histórico que pode ser investigado. Significado: a ressurreição é possível e aqueles que colocaram sua fé em Jesus serão ressurretos um dia para viver com Deus por toda a eternidade.

A Bíblia
A – Um livro da antiguidade que pode ter alguma verdade histórica, mas no final é uma mistura de contos míticos sobre um Deus mítico. Significado: as pessoas que acreditam na Bíblia estão iludidas.
C – A Bíblia é a palavra inspirada de Deus, é a mensagem de Deus para a humanidade. Significado: as respostas para as perguntas da vida foram providenciadas para toda a humanidade na palavra de Deus.

Cristianismo
A – O cristianismo é uma religião inventada. O cristianismo provavelmente foi roubado de outras crenças de religiões antiga com Paulo sendo o líder do movimento cristão. Significado: Cristianismo, junto com todas as outras crenças religiosas são baseadas em conceitos míticos falsos.
C – O cristianismo é o resultado da ressurreição corpórea de Cristo. Todos os que colocam sua fé em Jesus são cristãos. Significado: o cristianismo é a única visão de mundo que bem representa a realidade.

Moralidade
A – Alguns vão negar que a palavra seja relevante, mas a maioria irá concordar que a percepção de moralidade é um subproduto da evolução darwiniana. Significado: não existem leis morais objetivas. Um único ou uma comunidade de indivíduos decidem o que é virtuoso ou o que é vicioso.
C – Moralidade deriva-se da natureza de Deus. O certo e o errado moral não é escolhido porque Deus arbitrariamente ordenou assim ou porque essas coisas estão à parte de Deus por sua própria conta, mas a lei moral deriva da natureza de quem Deus é. Significado: uma lei moral objetiva existe, porque Deus existe.

Consciência
A – Nosso sentido de consciência é um mistério até agora. Nossa percepção de primeira pessoa está relacionada ao trabalho interno do cérebro. Significado: a consciência na espécie humana é um subproduto da evolução darwiniana.
C -Nós somos conscientes e temos percepção porque fomos criados à imagem de Deus. Significado: nós, dentre todas as formas de vida, somos capazes de raciocinar porque fomos criados por Deus como seres racionais. A mente/consciência é o resultado de uma Mente Suprema ou Deus.

Conclusão
A – O universo/vida é um mistério de como tudo isso começou. Não existe um propósito ou significado final para o mundo. Não existe Deus para nos salvar.
C – A vida é a criação especial de um Deus amoroso que quer ter um relacionamento com sua criação. Existe propósito e significado na vida e pode apenas ser encontrada ao se confiar a sua vida na morte sacrificial de Jesus – o Salvador do mundo.

Um comentário:

Wandrey Suarez disse...

Irmão, fiquei muito interessado nesta primeira 'argumentação' sobre os dois pontos de vistas, o dos ateus e o nosso, dos crentes:

O Princípio
A – Nenhum Deus criou o universo. Ou o universo é eterno ou criou a si mesmo. O universo foi criado por um processo desconhecido. Significado: o universo é acidental e sem propósito.

C – Deus criou o universo. Deus representa um ser que é atemporal, além do espaço e imaterial. Deus é um ser todo poderoso que tem o poder de desejar a existência do universo. Deus é pessoal. Significado: o universo foi criado por Deus e tem um propósito.

Irmão, fiquei muito intrigado pelo fato de que, segundo o que vim a entender das Escrituras e que o próprio espírito santo vem me 'soprando', o argumento dos ateus é muito mais provável que o 'nosso' argumento. Coloquei NOSSO entre aspas porque não me concidero mais um crente nesta doutrina de que Deus criou o Universo físico com suas estruturas assombrosas - as galáxias e sistemas estelares.

Não, irmão. Deus realmente nada falou sobre ser ele o Criador disto tudo. A Bíblia, que deveria ser a única fonte de revelações sobre o que Ele criou e o que não criou, nada nos fala sobre como o universo apareceu. Nada há ali que apoie a crença de que foi Ele quem criou o universo.

Não deveríamos, como crentes que achamos que sabemos tudo, ser dogmáticos quanto a um ensino que a Bíblia não fala. Segundo o apóstolo Paulo, acreditar em ensinos que a Bíblia nada fala é 'infringir uma regra clara das Escrituras', a saber: a regra de 'irmos além do que se encontra escrito nela'.

irmão, por isso que Jeová, através de um servo tão pequeno como eu, tem revelado a verdade acerca do que ele verazmente criou e sobre o que não teria sentido acreditarmos que ele tenha criado.

Irmão, chamo-o à razão e ao raciocínio bíblico. 'Use, como indica a Bíblia, suas faculdades de raciocínios para distinguir tanto o certo como o errado'.

Wandrey

Nas escrituras, tirar os sapatos tem um significado muito especial. Quando Moisés teve seu primeiro confronto com Deus, Ele disse para que ele tirasse seus sapatos porque ele estava em terra santa. Jesus caminhou descalço para o Calvário. Na cultura daquele tempo, estar descalço era o sinal que você era um escravo. Um escravo não tinha direitos. Jesus nos deu o exemplo supremo de renunciar tudo por um grande objetivo.
Loren Cunningham Making Jesus Lord / Marc 8:34,35

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...