sexta-feira, abril 30, 2010

Como pode um Deus amoroso mandar pessoas para o inferno

Com vocês, D. A. Carson.
Esse cara é inteligente. Veja esse vídeo com atenção. Mais de uma vez.

5 comentários:

João M. disse...

Muito legal os conceitos que ele coloca em questão como Justiça, pecado,vergonha e punição.

Mas o principal argumento dele não me convenceu...
ele não leva em conta Lc 16:19-31 ao meu ver.

Maurilo & Vivian disse...

Olá João.
Fiquei curioso. Poderia esclarecer melhor sua afirmação?

João M. disse...

Então Maurilo...
Eu vejo implícito um arrependimento por parte do rico, quando ele deseja que seus irmãos não venham para "este lugar de tormento". Ele até insiste dizendo: "Não, pai Abraão;se alguém dentre os mortos for ter com eles, arrepender-se-ão." A rebeldia dele é evidente sim, mas devido ao fato de que o arrependimento pra nada serve no inferno.
Ele ignorou Moisés e os profetas. Tentou se justificar. Esqueceu o que era justo. Mudou a verdade de Deus em mentira. Virou as costas para Lázaro seu "irmão".

Gostaria de saber o que você acha também Maurilo...
Queria enteder mais o video.
Abraços! :)

Maurilo & Vivian disse...

Olá João.

Entendi seu ponto.
Mas eu ainda acho que existe uma certa verdade em relação a falta de arrependimento daqueles que vão para o inferno, mesmo depois de seu terrível destino. Mesmo levando em consideração (ou talvez especialmente levando em consideração) por três razões:
a) – Natureza das parábolas. Normalmente, o propósito (geralmente) de uma parábola é apresentar um cenário e duas respostas a esse cenário, uma correta e outra incorreta. Podemos aprender mais de uma verdade dentro de uma parábola, mas não acredito que cada detalhe dela nos revela uma verdade sobre Deus.
b) – Eu não vejo tanto arrependimento da parte do rico, mas sim compaixão com os seus familiares. Não o vejo dizendo “ah, como eu pequei contra Deus! Como deveria ter agido de forma diferente”. Mas eu o vejo tendo compaixão pelos seus, corretamente desejando que eles não tenham o mesmo destino que ele. Muitos que estão na prisão não demonstram o menor sinal de arrependimento, mas não desejam o mesmo destino para os da sua casa.
c) – Um texto de Apocalipse sempre me fez acreditar que aqueles que vão para o inferno vão não irão se arrepender nem quando chegarem lá. O texto em questão não é uma referência ao inferno, mas realmente acredito que mostra o coração daqueles que não serão salvos:
“E os homens foram abrasados com grande calor; e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre estas pragas; recusaram arrepender-se e dar-Lhe glória”. Apocalipse 16:9.

Eu acho que levando essas coisas em consideração, é possível afirmar que aqueles que vão para o inferno não se arrependerão mesmo sofrendo o justo tormento por seus pecados.
O que você acha?

João M. disse...

Digamos que foi convincente xD

Deu pra entender melhor Maurilo...
Acho que é verdade, que devemos tomar cuidado com o propósito da parábola, mas o que me ajudou bastante foi realmente o texto de apocalipse.

Valeu!
Obrigado!

Nas escrituras, tirar os sapatos tem um significado muito especial. Quando Moisés teve seu primeiro confronto com Deus, Ele disse para que ele tirasse seus sapatos porque ele estava em terra santa. Jesus caminhou descalço para o Calvário. Na cultura daquele tempo, estar descalço era o sinal que você era um escravo. Um escravo não tinha direitos. Jesus nos deu o exemplo supremo de renunciar tudo por um grande objetivo.
Loren Cunningham Making Jesus Lord / Marc 8:34,35

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...