terça-feira, março 01, 2011

Os pressupostos da ciência


Muita gente tem uma visão distorcida sobre a ciência. Para muitos, especialmente para os naturalistas, a ciência é um empreendimento humano neutro e isento, que só se fundamenta naquilo que sabemos com 100% de certeza e que nunca é influenciada por pressupostos filosóficos. Na verdade, qualquer um que tiver o mínimo de treinamento em filosofia da ciência, poderá dizer o quão errado está essa visão.
Para que a ciência possa começar, é necessário uma série de pressupostos filosóficos que, a priori, não podem ser provados através da ciência. Ou seja, apesar de serem fundamentos para a prática da ciência, esses pressupostos não podem ser provados cientificamente. Ainda assim, não são considerados como falsos, uma boa dica que a ciência não é a única fonte de conhecimento para a humanidade.
Veja abaixo uma lista com esses pressupostos. Essa lista foi tirada do livro Philosophical Foundations for a Christian Worldview, de William Lane Craig & J.P. Moreland.

Aqui está uma lista das pressuposições da ciência: (1) a existência de um mundo externo independente de teoria; (2) a natureza ordeira do mundo exterior; (3) a cognoscibilidade do mundo exterior; (4) a existência da verdade; (5) as leis da lógica; (6) a confiabilidade em nossas faculdades cognitivas e sensoriais para servir como coletores da verdade e como uma fonte para crenças verdadeiras justificadas em nosso ambiente intelectual; (7) a adequação da linguagem para descrever o mundo; (8) a existência de valores usados na ciência (ex: “teste as teorias de forma justa e reporte os resultados de forma honesta”); (9) a uniformidade da natureza e indução; (10) a existência dos números.

Um comentário:

Wandrey Suarez disse...

Querido irmãos Maurilo e Vivian.

por mais que eu torçesse aqui meu cerebro e cerebelo, não consegui entender uma só vírgula desta sua postagem.

Wandrey

Mas creio que o irmão vai saboreae a nova verdade sobre um personagem bíblico que foi, durante sua vida, um completo frustrado. Sabe quem foi? Não?

Então vão lá e saibam:

http://estudopessoal.blogspot.com/2011/03/jefte-um-filho-da-puta-frustrado.html

Nas escrituras, tirar os sapatos tem um significado muito especial. Quando Moisés teve seu primeiro confronto com Deus, Ele disse para que ele tirasse seus sapatos porque ele estava em terra santa. Jesus caminhou descalço para o Calvário. Na cultura daquele tempo, estar descalço era o sinal que você era um escravo. Um escravo não tinha direitos. Jesus nos deu o exemplo supremo de renunciar tudo por um grande objetivo.
Loren Cunningham Making Jesus Lord / Marc 8:34,35

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...