segunda-feira, julho 13, 2009

O primeiro Natal de Michael Jackson

Ontem o Fantástico transmitiu uma reportagem com vídeos inéditos sobre a intimidade do Michael Jackson, como por exemplo sua visita a Gary, Indiana e também seu primeiro Natal.
Foi bom ver umas partes de Gary e pensar "eu acho que já passei por ali" ou "eu, eu conheço esse prédio". Seja como for, para nós a parte mais importante foi aquela que fala sobre o primeiro Natal de Michael, já adulto em Neverland, pois como Testemunha de Jeová, ele jamais comemorou o Natal. Interessante notar que depois de toda a festa, ele foi chorar em seu quarto
, pois para ele tinha cometido uma grande delito contra jeová, mesmo estando longe da organização desde 1987 (o processo de lavagem cerebral é sempre muito forte). Veja abaixo a última parte da reportagem.


Por que as Testemunhas de Jeová não comemoram o Natal?
Na verdade, nem sempre foi assim. Durante um bom tempo as Testemunhas de Jeová comeravam alegremente o Natal. Em uma edição da Watchtower de 15/12/26, página 371 lemos "O evento é tão que é sempre apropriado a trazê-lo à mente do povo, não importa a data". É até possível ver como esse evento era importante na foto abaixo, de um belo Natal na sede das Testemunhas de Jeová no Brooklyn, NY.


Mas pouco tempo depois tudo mudou e agora as Testemunhas de Jeová não devem mais celebrar o Natal. Vamos citar suas próprias palavras para mostrar porque acreditam nisso:
"Os primitivos cristãos resistiam à tentação de participar nas festividades pagãs dos seus contemporâneos. Mas, a Bíblia predizia que, com o tempo, se desenvolveria entre os cristãos uma grande apostasia. (Atos 20:29, 30; 2 Tessalonicenses 2:3; 1 Timóteo 4:1-3; 2 Pedro 2:1, 2)... a original e pura congregação cristã foi corrompida. Indo de mal a pior, os cristãos apóstatas justificaram seu proceder por dar às celebrações pagãs um nome 'cristão'. Conforme admite o livro Natal (em inglês): 'A Igreja Cristã . . . achou conveniente, no quarto século, adotar o sagrado dia pagão de 25 de dezembro, o solstício de inverno . . . A data do nascimento do sol tornou-se a data do nascimento do Filho de Deus'... Contudo, o perigo mais sério de se celebrar o Natal é que poderia levar à perda do favor de Deus. Por quê? Há diversos motivos. Por exemplo, o Natal promove a idolatria, algo proibido pela Bíblia... a celebração do Natal tem promovido a adoração de Jesus em lugar do Pai dele, Jeová Deus. Isto constitui outra forma de idolatria, visto que o glorificado Senhor Jesus Cristo é 'o princípio da criação de Deus'... O fato é que Jesus nunca afirmou ser o Deus Todo-poderoso". A Sentinela 15/12/1984, páginas 6 e 7.

E é por isso que as Testemunhas de Jeová não comemoram o Natal. A princípio, para alguém um pouco mais ignorante, essa linha de raciocínio pode até parecer válida, mas com um poquinho de bom senso e conhecimento da Bíblia é possível refutar com uma certa facilidade esse argumento.
Primeiro, os cristão primitivos comemoravam o Natal, normalmente no dia 6 de Janeiro, essa data só mudou para 25 de Dezembro em 354 AD por decisão do imperador Justiniano. Mas a igreja Ortodoxa ainda celebra 6 de Janeiro. A escolha da data foi uma questão política para um evento que já ocorria (o Natal). Se por algum acaso, o governo brasileiro mudar a data da Páscoa para o dia 31 de Outubro (Halloween), então a Páscoa passaria a ser uma festa pagá? Claro que não. Portanto, tão pouco o Natal.
Segundo, o Natal não promove idolatria quando é celebrado da maneira correta, adorando-se a Jesus porque ele é Deus. Um pequeno texto em nosso blog que demonstra como Jesus é Deus pode ser lido aqui.
Portanto, os dois principais motivos para as Testemunhas de Jeová não celebrarem o Natal não fazem sentido, nem historicamente, nem biblicamente. Mas isso já é um padrão na organização.

Portanto, Michael Jackson não possuía motivo algum para chorar depois do seu primeiro Natal, a não ser claro, os resquicios de sua lavagem cerebral. Ele deveria era se alegrar por estar livre de uma religião falsa. Espero que ele tenha realmente percebido isso.

22 comentários:

Fred disse...

A respeito da origem do Natal e do dia do nascimento de Cristo, observe os seguintes comentários de fontes religiosas e históricas:
“O Natal não se encontrava entre as primitivas festas da Igreja.” — The Catholic Encyclopedia (Enciclopédia Católica).
“A primeira menção da celebração do Natal ocorreu em 336 A.D., num primitivo calendário romano.” — The World Book Encyclopedia.
“A observância do Natal não foi divinamente instituída, nem se origina do N[ovo] T[estamento]. O dia do nascimento de Cristo não pode ser determinado pelo N. T., nem, deveras, por qualquer outra fonte. Os pais dos três primeiros séculos não falam de qualquer observância especial da natividade.” Cyclopedia of Biblical, Theological, and Ecclesiastical Literature (Ciclopédia de Literatura Bíblica Teológica e Eclesiástica), de McClintock e Strong.
“Embora isto pareça inexplicável, a data do nascimento de Cristo não é conhecida. Os Evangelhos não indicam nem o dia nem o mês.” — New Catholic Encyclopedia (Nova Enciclopédia Católica).
Se o Natal fosse importante para os cristãos, não o teriam mencionado Jesus ou seus discípulos? Também, a Bíblia nos diz: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa . . . a fim de que o homem de Deus seja plenamente competente, completamente equipado para toda boa obra.” (2 Timóteo 3:16, 17) Se o Natal tivesse origem divina, não teria Deus inspirado os escritores da Bíblia a dizer algo sobre ele, de modo que os cristãos pudessem ficar ‘completamente equipados para toda boa obra’?
A Bíblia ignora o Natal por não ser este uma doutrina ou um costume cristão. Não tem origem divina. Como comentou o jornal Daily News de Sri Lanka: “É bem significativo observar que, em parte alguma no Novo Testamento, foi um dia especial chamado Natal destacado para se celebrar o nascimento de Cristo. . . . O Natal tem origem humana. O Natal não faz parte da Bíblia.”

Fred disse...

A respeito da origem do Natal e do dia do nascimento de Cristo, observe os seguintes comentários de fontes religiosas e históricas:
“O Natal não se encontrava entre as primitivas festas da Igreja.” — The Catholic Encyclopedia (Enciclopédia Católica).
“A primeira menção da celebração do Natal ocorreu em 336 A.D., num primitivo calendário romano.” — The World Book Encyclopedia.
“A observância do Natal não foi divinamente instituída, nem se origina do N[ovo] T[estamento]. O dia do nascimento de Cristo não pode ser determinado pelo N. T., nem, deveras, por qualquer outra fonte. Os pais dos três primeiros séculos não falam de qualquer observância especial da natividade.” Cyclopedia of Biblical, Theological, and Ecclesiastical Literature (Ciclopédia de Literatura Bíblica Teológica e Eclesiástica), de McClintock e Strong.
“Embora isto pareça inexplicável, a data do nascimento de Cristo não é conhecida. Os Evangelhos não indicam nem o dia nem o mês.” — New Catholic Encyclopedia (Nova Enciclopédia Católica).
Se o Natal fosse importante para os cristãos, não o teriam mencionado Jesus ou seus discípulos? Também, a Bíblia nos diz: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa . . . a fim de que o homem de Deus seja plenamente competente, completamente equipado para toda boa obra.” (2 Timóteo 3:16, 17) Se o Natal tivesse origem divina, não teria Deus inspirado os escritores da Bíblia a dizer algo sobre ele, de modo que os cristãos pudessem ficar ‘completamente equipados para toda boa obra’?
A Bíblia ignora o Natal por não ser este uma doutrina ou um costume cristão. Não tem origem divina. Como comentou o jornal Daily News de Sri Lanka: “É bem significativo observar que, em parte alguma no Novo Testamento, foi um dia especial chamado Natal destacado para se celebrar o nascimento de Cristo. . . . O Natal tem origem humana. O Natal não faz parte da Bíblia.”

Maurilo & Vivian disse...

Caro Fred;
Quando fazemos uma citação, devemos citar a fonte, especialmente quando usamos um pensamento que não é nosso, mas sim de outros.
Seu texto é ipsis litteri (literalmente) o texto da Despertai de 08/12/1988, final da página 17 e início da 18. Houve algum motivo em específico para você não citar essa fonte? Seja como for, você deve ser Testemunha de Jeová, pois somente uma Testemunhas de Jeová abriria mão de seu próprio pensamento para ecoar o da organização.
Mesmo assim, esse seu comentário (digo, da Torre de Vigia) merece uma resposta.
Primeiro, a The Catholic Encyclopedia foi citada em partes (para variar). Ela indica que o Natal não se encontrava na lista de festas primitivas da igreja, Tertuliano e Ireneu a omitem. Mas logo abaixo ela diz que já no ano 200AD algumas igrejas já haviam definido uma data para o nascimento de Cristo e que alguns grupos já celebravam a Epifania e com isso provavelmente o Natal. Só lembrando, Clemente é um dos Pais da Igreja pré-nicéia. Toda essa informação faltante faz a diferença.
Segundo, não conheço ninguém que diga que o Natal foi divinamente instituído. E se tiver, está cometendo um erro. O Natal não foi divinamente instituído. Também não está na Bíblia. Mas isso não invalida o Natal. A palavra Bíblia não está na Bíblia. A palavra Salão do Reino não está na Bíblia. E em sentido estrito, nem mesmo a palavra Jeová se encontra nos originais, já que ela é a junção do tetragrama com as vogais de adonai.
Todos fazemos muitas coisas que não são exatamente ordenadas na Bíblia, mas ainda assim isso não as invalida. A Bíblia não ordena a vende de Sentinelas para as pessoas, mas ainda assim as Testemunhas de Jeová fazem isso como se sua salvação dependesse disso (na verdade depende).
Parafraseando seu comentário (digo, da Torre de Vigia), "Se a venda de Sentinelas fosse importante para os cristãos, não o teriam mencionado Jesus ou seus discípulos"? Esse argumento é bobagem não é? A Sentinela não existia. Assim como o Natal.
Se o jornal do Sri Lanka acha que o dia do nascimento do Senhor foi um dia normal (mas não dá pra ter certeza porque a grande maioria das citações da Torre de Vigia é editada), eles deveriam ter lido melhor os primeiros capítulos de Mateus e Lucas, porque se eles acham normal o dia que anjos aparecem no céu para pastores cantando "Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens de boa vontade" e que estrelas guiam magos do oriente para adorar o Salvador, então eles tem uma noção estranha de normalidade.
Entenda uma coisa Fred, o cristão verdadeiro tem liberdade de poder fazer coisas que sua consciência não o condena. Ele pode celebrar ou não o natal, pois isso não é uma doutrina. Essa é uma das belezas do cristianismo, ser livre, o que não acontece com as Testemunhas de Jeová, que estão presas à Torre de Vigia.

Ricardo disse...

Maurilo, você também não citou sua fonte ao dizer que o natal era comemorado no dia 6 de janeiro, vc poderia informa-la, por favor??

Ricardo disse...

Maurilo, você também não citou sua fonte ao dizer que o natal era comemorado no dia 6 de janeiro, poderia informa-la por favor?? ou será que isso se trata de mais um achismo que procede de todos os pseudo-intelectuais que se proliferam tanto pela internet, como você.

Ricardo disse...

E se você acha que tds são livres para adorarem Deus como quiserem, não institua um blog onde o objetivo único é criticar outras religiões. você se acha mais dono da verdade que os que você acusa.

Maurilo & Vivian disse...

Ricardo, a fonte para minha informação é da própria Catholic Encyclopedia que sua organização citou pela metade, na parte que fala sobre a Epifania. Você pode checar on line. É só fazer uma busca. Lá você vai ver como a Torre de Vigia só citou aquilo que achou conveniente da Encyclopedia.
Portanto, não é um achismo. E eu posso saber por que você acha que eu sou um pseudo-intelectual? Só porque apresenta a verdade sobre a Torre de Vigia? Ou talvez você gostaria de responder aos meus argumentos postados no blog? Se eu sou mesmo um pseudo-intelectual, isso será muito fácil para um intelectual do seu calibre. Você tem coragem de fazê-lo?
Gostaria de citar uma parte de uma troca de email que tenho tido com um superintendende presidente de uma de suas congregações e neste momento estamos falando sobre a TNM e sobre um grande erudito da sua organização, Frederick W. Franz. Veja abaixo um bom exemplo de pseudo-intelectual tirado de dentro da sua organização.

A questão sobre a comissão de tradução é bastante interessante. A organização se nega totalmente a informar quais foram seus membros. Com toda certeza isso gera questionamento sobre as qualificações de seus membros, já que verdadeiros eruditos se negariam a ter seus nomes associados a uma versão tão tendenciosa. Se realmente fossem eruditos, seria fácil resolver essa questão, era só liberar o nome de seus tradutores. Mas a Torre de Vigia ainda mantêm essa questão em aberto. Acredito que em tudo isso, a dúvida é bem melhor do que a certeza. Mas vamos nos focar um pouco sobre aquele que era considerado erudito na organização e que se apresentava como tal, Frederick W. Franz, como está em sua autobiografia, publicada na Sentinela de 01/05/1987 “À continuação do meu estudo de latim acrescentei então o estudo do grego. Que bênção era estudar o grego bíblico com o Professor Arthur Kinsella! Com o Dr. Joseph Harry, autor de várias obras gregas, estudei também o grego clássico”.
Vejamos primeiro se essa declaração é verdadeira. Paul Blizard investigou o assunto. Segundo ele, o único curso de grego bíblico oferecido na Universidade de Cincinnati na época era “Novo Testamento – Um curso de gramática e introdução”, de duas horas. Isso pode ser conferido no catálogo de 1911, na página 119. De grego clássico, Franz teve 21 horas de aula, latim foram somente 15 horas e hebraico e siríaco não eram ensinados na Universidade de Cincinnati. Além disso, Arthur Kinsella não possuía PhD, portanto só podia lecionar aulas introdutórias.

Maurilo & Vivian disse...

Também é interessante notar que em um julgamento que aconteceu na Escócia, em 1954, no caso Walsh versus Clyde, Franz se apresentou ao tribunal. Veja à baixo uma tradução de porções da transcrição do julgamento (ao qual eu possuo um cópia):

Página 7 - 9
Terça-feira, 23 Novembro, 1954.

Pergunta: Você é familiarizado com o hebraico?
Resposta de Franz: Sim.
P: Você também conhece e fala espanhol, português e francês?
R: Espanhol, português e alemão, mas consigo ler em francês.
P: Então você possui um aparato lingüístico substancial ao seu favor.
R: Sim, para uso no trabalho bíblico.
P: Percebo então que você é capaz de ler a Bíblia e entendê-la em hebraico, grego, latim, espanhol, português, alemão e francês?
R: Sim.
P: E era sua responsabilidade em nome da Sociedade verificar a tradução para o inglês do hebraico original do primeiro volume das Escrituras do Velho Testamento?
R: Sim.

No dia seguinte;
Página 102-103
Quarta-feira, 24 Novembro, 1954.

P: Você, você mesmo, lê e fala hebraico?
R: Eu não falo hebraico.
P: Você não fala?
R: Não.
P: Você mesmo poderia traduzir isso aqui para o hebraico?
R: Qual?
P: O quarto versículo do segundo capítulo de Gênesis.
R: Você diz traduzir aqui?
P: Sim.
R: Eu não tentaria fazer isso.

Pelo jeito o aparato lingüístico de Franz desapareceu pela noite. Franz alegou que era familiarizado com hebraico e grego, mas falhou um teste simples em um tribunal. Se ele, que era considerado o maior erudito na organização falhou de uma forma tão vexatória, o que poderíamos dizer dos outros tradutores? Seja como for, essa questão vai continuar em aberto porque, como já foi dito, a dúvida nessa caso é bem melhor que a certeza.


Um grande intelectual, com toda certeza.

Maurilo & Vivian disse...

E por último Ricardo, eu nunca disse que as pessoas são livres para adorar a Deus como quiserem. Eu acredito que as pessoas são livre para adorar a Deus da forma como Ele estabeleceu. Dessa forma, o blog faz todo sentido. Existem muitas religiões falsas (como a sua) que deturpam a Palavra de Deus e tornam a salvação mais difícil, fazendo das pessoas duas vezes mais filhos do diabo. Assim sendo, esse blog faz todo o sentido.
Eu não sou dono da verdade. O Senhor o é. E como Ele se revelou a nós e revelou sua verdade para nós, eu posso proclamar essa verdade, especialmente para aqueles que vivem no engano, como vocês.
Se você acha que o que está aqui nesse blog não é verdade, comece a refutar os textos aqui publicados (muitos com citações da própria Torre de Vigia). Sem isso, você está lançando só palavras ao vento. E comprovando minha tese.
E falando sobre textos da Torre de Vigia, quando falo sobre outras religiões estou seguindo uma orientação do "escravo fiel e discreto" que diz:
“Não é forma de perseguição religiosa alguém dizer e mostrar que a religião de outrem é falsa. Não é perseguição religiosa uma pessoa informada expor publicamente uma religião falsa”.
A Sentinela de 15/05/1964.
Se você tem algum problema com isso, então jamais poderia ser Testemunha de Jeová.

Hermes disse...

bom, eu percebo que você não tem nada pra fazer ao não ser falar mal das testemunhas de Jeová, eu já disse que não sou e nem quero ser, mas a sua religião eu nao sigo nunca, parece que vocês acham divertido falar mal da religião dos outros. Eu nao gosto disso, e só pra te lembrar vc diz eu um dos seus comentarios que as testemunhas de Jeová não tem sua propia opnião, eu acho que vc tbm não tem a sua, usa da sua organização tbm. quer um conselho vai tentar agradar a Deus e deixa as testemunhas cuidar da vida delas.

Hermes disse...

Depois de passear bastante por esse blog, deu ate vontade de aprender mais sobre as testemunhas de jeová, esse tipo de pre-conceito sem fundamento só prejudica quem tem. Obrigado por me mostra o verdadeiro lado da sua religiao.

Hermes disse...

e ai seu preconceituoso, hipocrita estou esperando sua resposta.

Maurilo & Vivian disse...

Hermes.
Eu gostaria de lembrá-lo que eu não tenho obrigação nenhuma de responder aos seus comentários, especialmente no tempo que você achar melhor. Lembre-se que esse blog é meu e eu respondo se eu quiser e quando eu quiser. Baixe a bola um pouco, especialmente para alguém que afirma não ser Testemunha de Jeová. Você pode estar falando muito bem de algo que não conhece. E tem demonstrado realmente falta de conhecimento.
Deixa eu ver se entendo o seu argumento. Eu não posso falar mal da religião dos outros, mas você pode falar mal da minha? Interessante. Você comete o mesmo erro que me acusa.
Como você não gosta que se fale mal da religião do outros mas fala mal da minha? Você disse “mas a sua religião eu nao sigo nunca, parece que vocês acham divertido falar mal da religião dos outros”. Quando você fala mal tudo bem, quando é outra pessoa, ai não pode? Você está sendo contraditório.
Não falamos mal das Testemunhas de Jeová. Não fazemos nenhum comentário sobre a moral das pessoas dessa religião. O que fazemos é mostrar que essa seita possui crenças diferentes daquelas que a Bíblia ensina. E se isso é verdade e mostramos aqui essa verdade, estamos exercendo amor porque alertamos as pessoas sobre o perigo iminente que se apresenta em seguirem uma religião falsa. Estamos assim amando nossos inimigos.
Você realmente não conhece a Torre de Vigia, porque ela mesma assume que Russell foi seu fundador “No começo dos anos 1870, Charles Taze Russell e alguns amigos seus iniciaram um rigoroso estudo não-sectário da Bíblia com respeito à volta de Cristo. Começaram também a procurar a verdade bíblica a respeito de muitos outros ensinos básicos. Este foi o início da hodierna atividade das Testemunhas de Jeová” (Fazer mundialmente a vontade de Deus, página 8).
Por favor, me mostre a relação que existe entre a piada e o conhecimento da verdade? Ela demonstra conhecimento sobre o “modus operandi” dos seguidores da Torre de Vigia, mas nada fala sobre a Verdade com letra maiúscula. Por favor, me mostre qual é a conexão entre uma coisa e outra?
Quem te disse que eu tenho de ganhar alguma coisa com isso? Não que não esteja tendo resultados, muito pelo contrário. Os seu comentários são prova disso. Mas eu gostaria de saber por que deveria estar fazendo isso pensando em algum ganho pessoal. Expor uma religião que não segue a Bíblia já é um ganho por si mesmo. E é uma prática comum entre as Testemunhas de Jeová. Já dizia a Torre de Vigia ““Não é forma de perseguição religiosa alguém dizer e mostrar que a religião de outrem é falsa. Não é perseguição religiosa uma pessoa informada expor publicamente uma religião falsa”.
A Sentinela de 15/05/1964. Eu não poderia dizer isso melhor.
Fique a vontade para conhecer o quanto quiser das Testemunhas de Jeová. Até para se tornar uma, já que você possuiu um tipo de pensamento circular que é típico dessa seita. Falando nisso, eu sei bem a definição de uma seita “refere-se ao subgrupo de uma corporação maior, geralmente religiosa, identificado por liderança, ensinos e práticas próprios” e também “refere-se também à crença que esse ou aquele grupo é a verdadeira igreja, com a exclusão de todos os demais grupos, considerados falsas igrejas” (Dicionário de Teologia, Grunz, Ed Vida, página 122). Por ambas definições, as Testemunhas de Jeová (e muitas outras) podem ser consideradas como seita.
Eu não vou entrar em uma discussão com você sobre o Michael Jackson porque esse assunto já foi debatido várias vezes no blog e temos até documentos da Torre de Vigia comentando a saída de Jackson da organização. Se ele não fazia parte da organização, como poderia ter saído? Ele foi entrevistado até na Despertai e a Veja anunciou sua saída da organização (Revista Veja, edição 980, de 17 de Junho de 1987, página 90). Você pode pesquisar no arquivo digital da Veja para verificar a veracidade da minha afirmação.

Maurilo & Vivian disse...

Quando afirmo que as Testemunhas de Jeová não possuem opinião própria o faço baseado nos próprios comentários aqui postados, a grande maioria deles é uma cópia ipsis litteris dos textos da Torre de Vigia. Poderia por favor dar fundamentos aos seus argumentos quando diz que eu não possuo opinião própria? Saberia citar os textos que eu copio aqui em meu blog, de outras pessoas e os uso como meus argumentos? É fácil identificar esse comportamento por parte das Testemunhas de Jeová em meu blog. Várias vezes eu até digo de qual publicação eles tiraram o texto. Você pode fazer o mesmo?
Quais erros o Cleber Santana deveria assumir? E quais fraquezas (com “z”, não com “s”)?
Se você não é e nunca foi Testemunha de Jeová como pode avaliar se alguém foi ou não? Você disse que quer aprender sobre elas (ou seja, ainda não as conhece), portanto não pode fazer qualquer julgamento sobre a filiação ou não de alguém. Mas é possível que você seja Testemunha de Jeová e aí seus comentários amorosos passam a fazer muito sentido.
Quando você for escrever sobre algo que não conhece, com pessoas que não conhece, seja ao menos um pouco mais educado. Além da vergonha de mostrar a sua ignorância, também vai mostrar que nem educado é.

Hermes disse...

Ei tudo bem, lembra de mim, eu comecei a estudar com as Testemunhas de Jeová graças a vc, muito obrigado. peço lhe desculpas pela forma como o tratei da ultima vez, vc tinha razão agi com ignorancia e sem conhecimento algum, hoje tenho um pouco de conhecimento, e como não sou perfeito estou tentando mudar o meu comportamento, mas sem duvida Heb 4:12 esta acontecendo em minha vida. Bom com meu pouco conhecimento, eu já não concordava com este tipo de blog, agora menos ainda, como eu falei da outra vez nunca vi nenhum site ou blog nada, onde as testemunhas de Jeová fala mal de outra crença ou religião, inclusive tem uma publicação chamada "O homem em busca de Deus" que fala um pouco sobre cada religiao, o que elas acreditam em que se baseiam etc... e em nenhum momento fala mal de nenhuma religião. Pense um pouco nisso, esse blog não te faz melhor do que os que vc fala mal,

Mateus 7:1 “Parai de julgar, para que não sejais julgados; 2 pois, com o julgamento com que julgais, vós sereis julgados; e com a medida com que medis, medirão a vós.

Mateus 5:44 No entanto, eu vos digo: Continuai a amar os vossos inimigos e a orar pelos que vos perseguem

mateus 7:16 Pelos seus frutos os reconhecereis. será que é isso que Deus quer que vc faça?

Desculpe a minha ignorancia da ultima vez.

Hermes disse...

coisas que aprendi com as TJ
Livro "o que a Biblia REalmente Ensina?"
OS QUE ADORAM O DEUS VERDADEIRO

* baseiam seus ensinos na Bíblia
* adoram apenas a Jeová e divulgam Seu nome
* têm amor genuíno entre si
* aceitam a Jesus como meio de salvação provido por Deus
* não fazem parte do mundo
* pregam o Reino de Deus como única esperança da humanidade

ai eu te pergunto, esses ensinos não estão na biblia?
o que tem de errado com esses ensinos?
e afirmo não as Testemunhas de Jeová não são uma seita. E eu concordo que as TJ fazem sim os seis pontos destacados no livro.

Hermes disse...

e quanto a chamr as TJ de uma seita, é compriensivel quando estudamos o capitulo 28 de Atos onde mostra que Paulo era acusado de fazer parte de uma seita e que por onde essa seita ia falava-se mal. Podemos analisar que quando Paulo era acusado de fazer parte de uma seita, e ele seguia os passos de Jesus quem o acusava, acreditava que Jesus era o lider de uma seita. Bom fica claro que não passa de uma ignorancia e falta de conhecimento por parte daquelas pessoas que acreditavam que Paulo fazia parte de uma seita não concorda? Simplismente afirmavam que Paulo participava de uma seita, e falavam mal dele por fazer parte de uma seita e pior não tinham nenhum argumento que provasse que ele realmente era membro de uma seita, só o que pensavam.

Hermes disse...

bom vc deve se lembrar de mim, meus comentarios estão até hoje aqui, antes de mais nada quero te pedir desculpas pela forma como o tratei no dia 5/8 deste ano. Hoje sou um estudante da Biblia e estudo com as testemunhas de Jeová, matriculado na escola do ministerio, aprendi muitas coisas sobre Jeová, Jesus e a Biblia. Durante este periodo eu aprendi e compreendi o comportamento de muitas pessoas, e porque elas criticam as TJ, aprendi tbm a usar de tato ao falar com as pessoas e mostrar respeito, coisa que eu não fazia quando tive o primeiro contato. Se antes eu não concordava com vc e seu blog, agora menos, visto que todos tem direito a opnar, esse tipo de trabalho com certeza não agrada a Deus visto que Jesus disse: Continuai a amar os vossos inimigos e a orar pelos que vos perseguem. Mat5:44, é por isso que penso que este tipo de trabalho feito em seu blog nao se origina de Deus.
O capitulo 7 de mateus inicia assim "1“Parai de julgar, para que não sejais julgados; 2 pois, com o julgamento com que julgais, vós sereis julgados; e com a medida com que medis, medirão a vós"

eu cheguei a falar na epoca que as TJ não perdia o tempo falando mal de outras religioes, e hoje eu posso afirmar isso, inclusive publicaram um livro chamado " o homem em busca de Deus" que fala um pouco sobre outras crencas e costume e praticas religiosa e suas origem, mas nao fala mal de nenhuma delas
e durante a leitura do capitulo de mateus vc percebe tbm que esse tipo de trabalho não é um fruto exelente. mateus 7:15 “Vigiai-vos dos falsos profetas que se chegam a vós em pele de ovelha, mas que por dentro são lobos vorazes. 16 Pelos seus frutos os reconhecereis. Será que se colhem uvas dos espinhos ou figos dos abrolhos?

esses comentarios do seu blog não ajuda ninguem, muito menos vc. Me ajudou é verdade mas não como vc queria.

Maurilo e Vivian disse...

Oi Hermes. Tudo bem e com você?
Eu tenho alguma lembrança de você sim. Fico feliz que você tenha se encontrado com as Testemunhas de Jeová. Na verdade, faz todo o sentido você ter se juntado a elas. O seu perfil é típico daqueles que se juntam a esse grupo. São pessoas como você que são enganadas por elas. Vá fundo e aproveite. Vai chegar o dia que você vai descobrir que tipo de organização você faz parte. Mas aí, já vai ser tarde demais. Mas fico feliz por ter juntado dois da mesma espécie.
Engraçado você usar versículos dizendo que eu não devo julgar, quando você está fazendo justamente isso. Parafraseando você mesmo “será que é isso que Deus quer que vc faça”?
Vamos ver se é verdade que as Testemunhas de Jeová não falam mal de ninguém. Que tal citarmos algumas das publicações da Torre de Vigia?
“Para isso, Revelação adiciona o mandamento poderoso: "Sai dela meu povo". Saia de quem? Fora da "Babilônia, a Grande, a mãe das prostituições e das abominações da terra" - o império mundial da religião falsa, católica, protestante, e não-cristãos, que rejeitam a verdade bíblica”! (Good News to Make You Happy, 1976, página 126-127). Chamar as outas religiões de mãe das prostitutas não é falar mal?
“Se os profetas religiosos da cristandade estivessem de pé no grupo íntimo de Jeová, numa relação íntima com ele, como se fossem um escravo fiel e discreto, eles também viveriam segundo as normas de Deus. Também teriam feito os povos da cristandade ouvir as próprias palavras de Deus. Em vez disso, os atuais falsos instrutores têm constituído seus seguidores em servos cegos do Adversário de Deus, Satanás, o Diabo”. (A Sentinela 01/03/1994, página 11). A Torre de Vigia tem em alto apreço os líderes das outras religiões, fazendo deles canalhas a serviço de Satanás.
“Não nos surpreende que a cristandade logo encontrará seu fim, junto com o restante de “Babilônia, a Grande”, o império mundial da religião falsa! (Revelação 18:1-5)”. (A Sentinela 15/08/2003, página 13). Toda a cristandade é Babilônia a Grande, o império da religião falsa. Não sabia que a Torre de Vigia considerava esse termo um elogio. Na minha época era um termo depreciativo. Posso chamar vocês então do “império da religião falsa” e ninguém vai se achar ofendido? Não, não posso. São tão poucas as Testemunhas de Jeová no mundo que não dá pra chamar de império.
Eu poderia citar muitos outros para mostrar como a Torre de Vigia fala mal sim das outras religiões. Somente um seguidor ingênuo da Torre sem conhecimento dos textos já publicados e da sua própria história poderia acreditar no contrário.

Maurilo e Vivian disse...

Interessante você citar um livro da Torre de Vigia para defender a Torre de Vigia. Todas as religiões fazem a mesma coisa. Sabe o que os mórmons dizem sobre os próprios mórmons? Quando perguntados se se consideram cristãos, veja a resposta: “Gordon B. Hinckley, o Presidente da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias disse:
"Somos cristãos na própria acepção da palavra e isso vem sendo mais e mais reconhecido. No passado todos diziam que não éramos cristãos. Eles acabaram tendo que reconhecer que somos, e que temos uma religião vigorosa e dinâmica fundamentada nos ensinamentos de Jesus Cristo.
Nós, naturalmente, aceitamos Jesus Cristo como nosso Líder, nosso Rei, nosso Salvador. A figura dominante na história do mundo, o único Homem perfeito que já andou sobre a Terra, o Filho vivo do Deus vivo. Ele é nosso Salvador e Redentor e aquele cujo sacrifício expiatório proporcionou a oportunidade da vida eterna."

Os membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias oram e adoram em nome de Jesus Cristo. Ele é o centro da nossa fé e o cabeça da nossa Igreja”.
Simplesmente porque eles afirmaram que são cristãos, você os considera cristãos? Ou será que é necessário mais do que isso?
Faz tempo que eu não escrevo mais sobre vocês, mas tem bastante coisas no blog para você se divertir. Várias respostas a comentários como o seu, além de posts específicos sobre essa seita da qual agora você faz parte. Se você tem realmente interesse em saber os erros da Torre de Vigia e a sua pergunta não foi apenas retórica (o que sempre é quando vem por parte das Tjs) eu te recomendo procurar no blog tudo o que existe sobre as Testemunhas de Jeová. Não vou escrever novamente aquilo que já escrevi.
Hermes, fique tranquilo, pois você já está desculpado, tanto por sua ignorância naquela época quanto a sua atual.
Um grande abraço.

barbara disse...

eu tenho pena do que vc tá fazendo com sua propria vida falando mal de jeová e da organização.se ele chorou é pq ele se arrependeu do que ele tava fazendo com a vida dele e vc devai fazer o mesmo...

Maurilo e Vivian disse...

Cara Barbara.
Poderia por favor me dar exemplo de algum lugar em meu blog onde eu falo mal de Jeová? Poderia procurar por todo o meu blog encontrar uma única citação de ofensa a Jeová?
Não, não poderia, porque eu não falo mal de Jeová. Nem de sua organização, a igreja de Cristo, a Noiva do Senhor preparada pelo Pai.
Agora, eu falo bastante (mas não mal) sobre a Torre de Vigia, a organização das Testemunhas de Jeová. Eu apresento fatos e evidências, todas com fundamentos bíblicos e históricos que provam sem menor sombra de dúvida que a Torre de Vigia não representa Jeová nessa terra.
Se você que alguma dessas informações é falsa, sinta-se a vontade para refutá-las. Muitos tentaram, ninguém conseguiu.
Mas existe algo que é mais importante. Tem um texto na página principal que se chama "A pergunta de um milhão de dólares" e responda as perguntas lá postadas. Veja como Jeová nos oferece grande salvação. Se você realmente ama Jeová, vai com certeza pelo menos ler esse texto. Depois disso, sinta-se a vontade de seguir seu caminho.

Nas escrituras, tirar os sapatos tem um significado muito especial. Quando Moisés teve seu primeiro confronto com Deus, Ele disse para que ele tirasse seus sapatos porque ele estava em terra santa. Jesus caminhou descalço para o Calvário. Na cultura daquele tempo, estar descalço era o sinal que você era um escravo. Um escravo não tinha direitos. Jesus nos deu o exemplo supremo de renunciar tudo por um grande objetivo.
Loren Cunningham Making Jesus Lord / Marc 8:34,35

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...