sábado, novembro 28, 2009

O Livro de Mórmon e os missionarios


A caminho de meu trabalho, em um mesmo dia, pude observar por duas vezes pessoas lendo o Livro de Mórmon no ônibus. Eu nunca havia visto esse livro na mão de qualquer pessoa que não um missionário mórmon, portanto isso chamou minha atenção. Ainda mais quando acontece duas vezes no mesmo dia. Infelizmente, não me foi possível abordar essas pessoas para conversar sobre assuntos espirituais, já que havia uma abertura óbvia.
O mormonismo tem se tornado muito próximo de nós, por vários motivos. Entre eles, o fato de trabalhar com uma mulher mórmon. E nossas visitas constantes aos Estados Unidos acabam nos expondo mais à eles, já que existem aos montes por lá.
Nessa última viagem, quando estávamos no aeroporto para o embarque, três deles devidamente uniformizados estavam esperando no portão a chamada para embarcar no mesmo vôo que nós. Na hora me veio aquela vontade incontrolável de ir falar com eles. Três, ali, à minha disposição? Eu fico mais agitado que um labrador no momento de passear. Mas eu também estava checando se conseguiríamos embarcar de primeira classe ou não, então, estava meio ocupado no portão de embarque (hei, dez horas até Dallas não são fáceis de econômica. Tanto que fomos mesmo de primeira classe. Um pequeno direito missionário...).
Como não foi possível me conter, fui conversar com eles. Um deles estava lendo uma revista chamada Liahona (que eu já estava lendo em sua versão online no site deles) e utilizei isso como iniciador da conversa. Perguntei o que queria dizer a palavra Liahona em si. Eles me disseram que era o nome da bússola que guiou os peregrinos judeus em sua viagem. “Em sua viagem até a América do Norte, não?” perguntei. Começamos a conversar um pouco sobre o Livro de Mórmon e ficaram surpresos em saber que eu já havia lido o livro e conhecia as histórias. Infelizmente, deram início ao embarque e vi que eles ficaram entre tentarem embarcar e a responsabilidade de não desperdiçar a conversa. Eu encerrei a conversa para que eles pudessem seguir para o vôo. Só nos vimos novamente em Dallas na imigração, mas em filas diferentes. Depois não nos vimos mais.
Eu tenho um certo respeito pelo programa missionário dos mórmons. Não pela teologia, mas sim pelo investimento da igreja em missões. Nesse exato momento estou lendo sobre a formação dos missionários e os custo para cada um.
A igreja protestante no século 20 foi marcada pela negligencia de uma forma geral em missões e evangelismo pessoal. Esquecemos qual é o destino eterno daqueles que morrem sem Cristo. Esquecemos que todas as coisas que estão à nossa volta são insignificantes quando comparadas com as coisas eternas. Acreditamos que a pregação do “evangelho da prosperidade” tirou o foco de principal motivo para nossa existência (glorificar a Deus e viver Sua existência para todo o sempre) para substituí-lo pelo suprimento de nossas necessidades aqui na Terra. Que vergonha. E nada melhor para declarar a glória de Deus do que Ele salvar um miserável pecador como nós. Romanos 10:14 e 15 “Como pois invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram falar? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? assim como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam coisas boas”! Versículos batidos no meio cristão, mas que ficam sempre impressos nos folhetos missionários, não nos corações dos cristãos.
Pode ter sido uma coincidência ter visto pessoas lendo o Livro de Mórmon por ai. Ou talvez não. Mas é inegável que a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos dias está crescendo em nossa nação, assim como foi nos Estados Unidos. Nós cristãos devemos estar prontos para apresentar o verdadeiro evangelho para eles e mostrar que, apesar de serem bem organizados e cuidarem bem um dos outros, eles não apresentam o Jesus das Escrituras, mas sim um outro Jesus (2 Cor 11:4).
Estejam preparados meus irmãos.

7 comentários:

.Gluttony. disse...

posso dar continuidade as suas perguntas se ainda estiver interessada em saber sobre os mórmons! :D
Sou membro da igreja a 17 anos e acredito poder servir de ajuda para algo, se ainda quiser saber :D
E lhe provar que o mesmo Cristo que vc ama e segui, também amamos e servimos com todo o nosso coraçao! :D

Maurilo & Vivian disse...

Olá Gluttony.
Seria um prazer continuar esse diálogo com você.
Por favor, fique a vontade para compartilhar toda e qualquer informação que você quiser.
Eu acho pouco provavel que você me convença que amamos o mesmo Jesus, mas estou aberto a novas informações.
Um grande abraço.

patriciahipolito disse...

Oi Maurilo, costumo ler seu blog e fico feliz com o respeito que tem por nós, santos dos últimos dias, e por seu constante estudo e dedicação à fé cristã.Só posso dizer que amamos o mesmo Jesus e à Ele servimos, Ele é único.
Nunca gostei de polemicas e nunca tentei convencer ninguém de minhas crenças,eu as compartilho e tento ser um bom exemplo. O testemunho que tenho foi conquistado com estudo, e acima de tudo, muita oração. Se me permite compartilhar para quem tiver curiosidade: www.mormon.org.br
www.lds.org.br

Maurilo e Vivian disse...

Oi Patrícia.
Fico feliz que você lê nosso blog.
Sim, tenho um enorme respeito pela Igreja Mórmon, especialmente pelo seu programa missionário e por acolher bem seus membros e trazê-los para próximo.
Infelizmente eu discordo da teologia mórmon e quanto mais tenho estudado seus ensinos (e você sabe bem que tenho me empenhado nisso), chego a conclusão que é um outro evangelho e assim, um outro Jesus.
Mas esse é um assunto que podemos desenvolver melhor pessoalmente.
Eu recomendo os sites que você postou, são boas fontes de informação sobre a LDS.

patriciahipolito disse...

Sem dúvida teremos oportunidade de falar mais sobre isso sim :-)
Abraços

Fernando Moreira disse...

Olaá, Maurilo. Fico feliz por saber que pessoas de outras religiões respeitam a nossa. As pessoas deviam seguir seu exemplo: mesmo discordando e não acreditando, respeitam e admiram. Essa é a atitude que eu queria que todos tomassem. Sou membro da igreja e estou saindo em missão próximo mês. Mas tenho que dizer, assim como os comentários anteriores, que nós acreditamos e amamos o mesmo Jesus Cristo que você. Grande abraço.

Luiz Henrique disse...

Ola maurilio...achei o seu blog na net e gostei muito da forma como expos o que acredita, servi dois anos como missionarios e teve momentos que desejei encontrar pessoas de outras denominaçoes que realmente seguem o que pregam, porque na maioria dos casos sempre encontrei muitas pessoas que eram pouco educadas e grossas conosco, sem contar os insultos, acredito que a grande causa e a falta de informaçao, a maioria nao busca aprender e nem por em pratica o que aprendem em suas igrejas, afinal amar ao proximo e um mandamento pra todas as igrejas Cristãs. Abraço.

Nas escrituras, tirar os sapatos tem um significado muito especial. Quando Moisés teve seu primeiro confronto com Deus, Ele disse para que ele tirasse seus sapatos porque ele estava em terra santa. Jesus caminhou descalço para o Calvário. Na cultura daquele tempo, estar descalço era o sinal que você era um escravo. Um escravo não tinha direitos. Jesus nos deu o exemplo supremo de renunciar tudo por um grande objetivo.
Loren Cunningham Making Jesus Lord / Marc 8:34,35

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...