quinta-feira, janeiro 01, 2009

Curas milagrosas e o evangelho da prosperidade

Essa última noite, após a comilança da Ceia de Ano Novo, eu estava indo de canal a canal na televisão e parei em um programa de uma igreja neo-pentecostal que muitos estavam falando mas ainda não havia tido tempo de assistir. Como eu estava de bom humor, decidi gastar uma hora para ver exatamente sobre o que se tratava. Pela amostra fornecida pela pequena hora assistida, um bom resumo do culto (gravado na sede da igreja, no Brás) seria o seguinte; o pastor, um senhor alto e carismático, entrevista pessoas no púlpito sobre seus testemunhos de milagres. Nesse período de uma hora pude ver pelo menos dez pessoas, que na grande maioria contavam a mesma história: pessoas muito pobres que tiveram problemas graves de saúde, todos desenganados pelos médicos, que não encontravam ajuda em lugar nenhum, conseguiram alcançar cura quando viram o programa do apóstolo (título utilizado pelo pastor), através da oração desse homem e, invariavelmente, por serem dizimistas fiéis. Isso aliás me chamou atenção; mesmo com a variação das doenças, em sua maioria câncer e doenças autoimunes, o fio unificador de todos era que suas graças só foram alcançadas porque eram dizimistas. Percebe-se o quanto isso é vital nessa igreja pois no meio do púlpito (que fica bem no meio da igreja), existe uma placa com os dizeres “um milhão de dizimistas em três anos” (como a câmera se movimentava muito não foi possível confirmar se eram três ou dois anos). De qualquer forma, o narrado acima é um bom resumo da hora de programa que vi.
Como não gastei mais tempo assistindo a esse programa, não posso dizer se em algum momento o apóstolo realmente chegou a pregar o evangelho, mas isso vou deixar para um outro momento, pois pretendo assistir mais do programa e talvez até fazer uma visita ao templo. Mas o que quero refletir um pouco é porque essas curas acontecem nessas igrejas neopentecostais, especialmente as que pregam o pernicioso evangelho da prosperidade. Vou considerar para o benefício da dúvida que essas curas realmente aconteçam, não vou questioná-las nesse momento pelo simples fato que não posso dizer o quanto existe de manipulação ou não. Mas vou partir do pressuposto que essas curas são reais.
Então, quem realiza essas curas? Em um primeiro momento, pensei que a força por trás dessas curas pudessem ser demoníacas. Mas isso para mim não faz sentido porque, por mais que a mensagem pregada seja uma total deturpação do evangelho, eles ainda assim declaram que essas curas foram em nome de Jesus. Enquanto refletia sobre isso, imediatamente me veio à mente o texto de 2 Timóteo que diz: “Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas”.
Esse texto nos diz que muitos possuem os pregadores que merecem, pois é exatamente isso que desejam. Não querem mais ouvir sobre o verdadeiro evangelho, mas sim as baboseiras de seus líderes. E se conversarmos com essas pessoas, vamos perceber que é exatamente isso que elas querem: cura, libertação, dinheiro. Elas são atraídas a Deus não por amor a Ele, por sua salvação, mas sim porque querem receber os benefícios do cristianismo, mesmo que para isso eles tenham uma visão deturpada de Deus, como se ao invés de ser nosso Redentor, ele fosse nosso Papai Noel.
Um outro texto que me ocorreu foi o de Romanos 1 que diz que por causa de seu amor ao pecado, Deus deu aos pecadores mais do seu próprio pecado, aumentando ainda mais a condenação sobre eles. Normalmente pensamos sobre esse texto em relação aos pecadores mais terríveis. Mas nada indica que seja uma única categoria de pecadores, mas sim todos os que vivem em rebelião. E se uma pessoa é gananciosa a ponto de usar seu relacionamento com Deus única e exclusivamente para seu benefício, então essa pessoa está vivendo em rebelião e esse texto pode se aplicar a ela. Portanto, para essas pessoas que receberam para si os pregadores que merecem, também recebem sobre elas mais combustível para seus próprios pecados, aumentando sobre si sua condenação. Quando alguém é curado, não por um ato de misericórdia de Deus, mas porque pagou o dízimo e recebeu o direito de ser curada, Deus está curando essa pessoa, não para sua salvação, mas para sua condenação! Pois elas não se aproximam de Deus porque Ele é Deus e estão prontas a entregar suas vidas a Ele, mesmo que isso queria dizer a morte. Elas buscam a Deus para que Ele resolva seus problemas e as deixe ricas. Trocam os benefícios do mundo por vir pelas migalhas desse mundo decaído.
A cura que Deus propaga nesses lugares é a própria condenação sobre esses pregadores e os que os seguem, pois não buscam ao Senhor em espírito e em verdade, mas sim em ganância e enganação.
Como disse nosso Mestre:
"Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade".
Mateus 7:22,23
Ps: eu sei que esse post vai causar alguns comentários enfurecidos. Tudo bem. Só espero ao menos que usem de um pouco de educação e muita bíblia...

6 comentários:

Asmodeu disse...

Caros Maurilo & Vivian

Bom Ano 2009

O debate tem sido intenso apesar da pouca disponibilidade mas mesmo assim não queria deixar de responder ao “Macedo” que tem tentado impor a sua argumentação.

Saudações

Mariana disse...

Ola Maurilio e Vivian, a Paz do Senhor! Meu nome eh Mariana, e ha alguns dias estou acompanhando o blog de voces, mas somente agora resolvi postar.
Muito interessante a visao de voces, muito embora eu nao saiba de que ministerio se trata, pois moro nos EUA e nao acompanho os programas brasileiros por televisao.
Quanto a cura dessas pessoas, eu concordo em parte com voces.
A comecar, penso que muitos, sao manipulados, sim! Infelizmente.
Agora, se partirmos da afirmacao que as curas realmente aconteceram, eu nao diria que o Senhor cura para a condenacao dos mesmos. Digo isso, porque muitas vezes, essas pessoas sao muito humildes, e eu certamente acredito no amor deles por Jesus. Acontece que a igreja se encarrega de manipular a bencao do Senhor, e dizer que aconteceram gracas aos dizimos e ofertas, e as pessoas que nao conhecem a palavra de Deus, e muitas vezes nao tem instrucao, "engolem" e "vomitam" essa teoria, fazendo cada vez mais discipulos desse evangelho prospero.
Vou deixar o endereco do meu blog, caso voces queiram dar uma olhada!(www.eusoqueroteamar.blogspot.com) Fiquem na Paz!!!

Julio disse...

Maurilio;

Meu nome é Júlio César, eu moro em Niterói e acompanho e muito o movimento neo-pentecostal atual, confesso que não faço críticas e comentários a respeito de diversas doutrinas, pois quem julga e quem purificará a vindoura igreja de Cristo será o próprio Deus , desta forma não me cabe querer julgar o "verdadeiro" evangelho ou coisa do tipo!

Todavia, só queria mencionar a questão das curas, por certo, apesar de racional e extraordináriamente duvidoso, confesso e milito a você que essas curas SÃO REAIS!

Mas qual é a diferença? Como muitas vezes uma igreja que, talvez, possa estar equivocada quanto ao evangelho, vive curas e mais curas milagrosas enquanto outras igrejas que pregam o evangelho de sua forma acrítica observam raros e esporáticos caos do mover de Deus.

A resposta é uma só! Simples e Verdadeira.

Motivação: como você bem disse as pessoas são pobres, um pobre é um desesperado pela presença de Deus, ele precisa e quer uma resposta de Deus - Maurílio - Desu não despreza os desesperados, Jesus não consegue - tal como o cego em Jericó, mesmo que os discípulos tentassem afastar o pobre cego, ele gritava, ele estava DESESPERADO por JESUS, esse desespero por Jesus o fez se mover e cura-lo.

A motivação maior das pessoas que frequentam a maior parte das igrejas com algum poder aquisitivo, não é a de ver milagres, as pessoas se tornaram Espectadores, elas querem ouvir a palavra com a motivação de um homem que assiste uma mera palestra, bem como louva com a motivação de entoar uma bela canção, porém não estão desesperadas por milagres, pelo toque de Jesus, raras vezes, essa motivação torpe, que olha para as mãos do Deus vivo e não para o seu rosto, amor e misericórdia, deixa muitas vezes de impelir a mão de Deus...

Muitos daqueles "pobres" irmãozinhos que vc testemunhou na televisão, realizaram longas viagens para chegar até aquele lugar, atravessaram barreiras, pessoas, dificuldades, para em FÉ, tocar a orla das vestes de Cristo e conseguir seu milagre!

Talvez nem elas mesmo percebem, que esse desespero por Jesus é que não o permite ignorá-las.

Confesso que já me equivoquei como você - tirei conclusão com o meu foco e a minha visão NO PÚLPITO, NA IGREJA, E NOS SEUS REPRESENTANTES.

Todavia o nosso foco está equivocado, se quisermos entender esse fenômeno, DEVEMOS OLHAR PARA AS OVELHAS, PARA OS SERES HUMANOS QUE DESESPERADAMENTE buscam um toque de Deus...

Quem somos nós para criticar ou duvidar que o mesmo Deus que levantou coxos, cegos e leprosos no passado não esteja fazendo o mesmo agora?

Os leprosos arriscavam-se em meio a multidão, que os apredejaria até a morte, a fim de ver Jesus e serem curados, a palavra diz que GRITARAM, veja que motivação, que desespero, buscam o milagre coms acrifício pessoal de seu bem estar, arriscando, face a condição miserável que estavam...

Posso citar inúmeros exemplos, mas vou terminar com o testemunho de um pastor muito gente fina que conheço, o qual me descreveu que na época em que era missionário, em igrejas lá do interior do Brasil, longe de tudo e de todos. As pessoas que Necessitavam e estavam com seus corações voltados a buscar à Deus, caminhavam e se esforçavam ao máximo para percorrer quilômetros até chegar em uma igreja, para louvar, ouvir a palavra e buscar o toque de nosso Deus, e foi a fase de sua vida em que nunca viu tantos e tantos milagres de cura e avivamento, todavia agora, em uma igreja lotada em um local abastado, raras vezes observamos um milagre ou a presença de Deus.

Será que nossos irmãos em melhores condições se levariam ao sacrifício e desespero de percorrer uma longa distância para tentar tocar o coração de Deus?

Um homem com a motivação de tocar a Deus a todo custo, não mede esforços...

Vamos olhar para o exemplo puro de nosso irmãozinhos paulistas e deixar que as igrejas sejam cuidadas pelo próprio Deus que já disse e repito - irá purificar sua igreja no fogo!


Meu irmão! Adoro seu Blog - Adoro o evangelismo! Vamos Seguir o coração de Deus e pedir que ele nos envie até onde o Seu coração deseja ir!

Abraços Meu Irmão!

Júlio Moreira

Juliomoreira25@hotmail.com

Maurilo & Vivian disse...

Olá Júlio, obrigado por visitar nosso blog, fico feliz que você tenha gostado.
Antes de começar, quero deixar claro que não acho nenhum um pouco impossível que milagres aconteçam. Já experimentei vários deles em minha vida, incluindo curas. Dito isso, quero esclarecer melhor meu post.
É importante perceber que um dos principais pressupostos do meu post é que essas curas são reais. Como para mim (e para qualquer outra pessoa que não esteja no local ou conheça a família) é impossível definir se tal cura aconteceu mesmo ou não, parti do pressuposto que essas curas realmente acontecem. O problema que abordei no meu post não está ligado ao acontecimento dessas curas, mas sim o porquê elas acontecem.
Uma frase em especial me preocupou em seu comentário: “... não me cabe querer julgar o "verdadeiro" evangelho ou coisa do tipo!“ Essa declaração está em total desconformidade com aquilo que Paulo nos adverte em Gálatas 1:8,9 “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema. Como antes temos dito, assim agora novamente o digo: Se alguém vos pregar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema”, ou então Efésios 4:14 “para que não mais sejamos meninos, inconstantes, levados ao redor por todo vento de doutrina, pela fraudulência dos homens, pela astúcia tendente à maquinação do erro”. Portanto meu irmão, nós devemos sim julgar quando um evangelho nos é apresentado, devemos conferir se é o verdadeiro evangelho ou não.
Meu foco nessa questão não está equivocado. Ele está realmente nas pessoas que estão recebendo a cura. Você acertou em cheio quando disse que a questão é motivação. Exatamente por isso essas curas acontecem. Só que apesar de concordarmos sobre o combustível dessas curas, por assim dizer, discordamos sobre o que isso representa para essas pessoas.
Temos a péssima mania de ver os pobres como coitados, como inferiores e por causa disso, muitas vezes escondemos o evangelho dessas pessoas. Qual é a maior necessidade de um velho que está morrendo de câncer? A cura da doença ou a salvação em Jesus Cristo? Se escondemos desse homem o evangelho, estamos atendendo a uma necessidade periférica, dando esperança para ele somente nessa vida (1Cor 15:19; “Se é só para esta vida que esperamos em Cristo, somos de todos os homens os mais dignos de lástima”) e assim roubando desse homem aquilo que é sua necessidade mais imediata.
A motivação também pode agira contra muitos desses que atravessam barreiras para conseguir suas curas. Muitos buscam exatamente isso, curas. Eles não buscam a Deus, mas sim os benefícios que Deus pode proporcionar. Jesus experimentou isso “Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir”? (João 6:60). Jesus tinha feito muitos milagres até esse momento, mas as pessoas não estavam interessadas em sua mensagem, mas sim em seus milagres. Jesus curou e alimentou milhares, mas quantos sobraram ao pé da cruz?
Se esses pobres necessitados que receberam cura se converterem e colocaram sua fé em Jesus Cristo como seu Salvador, não somente como beneficiador, mas como Salvador e o amarem a ponto de desejarem por ouvir suas palavras (as Escrituras) então, essas curas serão para glória de Deus. Mas se qualquer pessoa a busca a Deus somente pelas curas, nunca se arrepende (e um bom sinal disso é que a pessoa não suporta ouvir o evangelho verdadeiro, como aconteceu com Jesus) e só vislumbra o cristianismo por causa dos benefícios, então essas curas serão para condenação dessa mesma pessoa e assim o nome de Deus continua sendo glorificado.
“Está doente algum de vós? Chame os anciãos da igreja, e estes orem sobre ele, ungido-o com óleo em nome do Senhor” Tiago 5:14. Eu sou totalmente a favor dos milagres, devemos orar pelos doentes. Mas reduzir o evangelho somente a isso e permitir com que as ovelhas busquem a Deus somente pelas suas necessidades, sejam elas pobres ou ricas, é tornar Deus nosso Papai-Noel pessoal. E Deus não se compara a nada.
Meu amado irmão, espero que tenha feito sentido para você.
Um grande abraço.

Julio disse...

Nossa!

Assim que se faz um ótimo blog, ao invés de debatermos, nós nos edificamos mutuamente.

É verdade, vc está corretíssimo, John Bevere diz algo fantástico ue colmata bem a sua colocação.

Trata-se em buscar a face de Deus e não, tão somente, as suas mãos.

Irmão! obrigado pelas palavras!

Puxa bem que poderia rolar um intercâmbio de material sobre evangelismo, hein!

Abraçs T+

banda-atrio@bol.com.br disse...

Show, artigo inteligente e polêmico descobri hj o teu blog, e ja vasculhei muita coisa.
Cura não deveria ser, mas é um sassunto polemico. Todo cremos na cura divina.
Mas pra mim ... Deus nunca precisou de propaganda.
Se é show ? se é verdade ? sinceridade ? devemos nos desgastar e refletirmos, mais com a cura da "alma" dos "sãos" e dos perdidos.
Abraço,

Mais uma vez show !

Nas escrituras, tirar os sapatos tem um significado muito especial. Quando Moisés teve seu primeiro confronto com Deus, Ele disse para que ele tirasse seus sapatos porque ele estava em terra santa. Jesus caminhou descalço para o Calvário. Na cultura daquele tempo, estar descalço era o sinal que você era um escravo. Um escravo não tinha direitos. Jesus nos deu o exemplo supremo de renunciar tudo por um grande objetivo.
Loren Cunningham Making Jesus Lord / Marc 8:34,35

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...